Título Mulher de Fato

Dona Creusa Pires, exemplo de superação, recebe o ‘Título Mulher de Fato’

Atualizado em: 12/06/2013

creusa_pires_1

Na Paraíba existem inúmeras mulheres de fato. Muitas transitam anonimamente pelas ruas, e outras deixaram o seu nome registrado na nossa história. Creusa dos Anjos Pires Bezerra, ou Dona Creusa Pires, como era mais conhecida, é uma dessas mulheres que através das suas ações continua viva, e ela é a nossa homenageada do mês de junho com o ‘Título Mulher de Fato’.

Empreendedora, Creusa Pires começou a trabalhar aos 13 anos como vendedora e depois auxiliar de escritório, formando-se no curso técnico em Contabilidade pela Academia Paraibana de Comércio. Passou por grandes dificuldades financeiras, no entanto, conseguir superar cada uma delas. Foi eleita vereadora de João Pessoa e fundou o ‘Clube da Melhor Idade da Paraíba’, uma instituição que resgata a autoestima dos idosos.

E o mundo gira…

Para os mais jovens, transitar pelo Parque Solon de Lucena, localizado no Centro da Capital paraibana, e passar por um dos maiores estabelecimentos comerciais da cidade pode parecer algo banal, porém, naquele espaço existe um pouco da história de João Pessoa.

No século passado, Creusa Pires, junto com o seu marido Adrião Pires Bezerra, fundou o Edifício Manoel Pires e a Gran Pires, a primeira e maior loja de departamentos do Estado, e junto inaugurou a primeira escada rolante instalada na Paraíba.

Ocupando uma posição privilegiada na sociedade, sua casa era utilizada para receber grandes nomes da política nacional e da cultura brasileira. Já que a cidade não dispunha de hotéis que pudessem receber grandes personalidades, Creusa Pires hospedou presidentes da república, ministros, governadores, artistas e poetas da época, entre eles: Costa e Silva Garrastazu Médici, Castelo Branco (presidentes), e Vinícius de Morais e Toquinho.

De membro da sociedade paraibana, Creusa Pires perdeu todos os seus bens após as mudanças econômicas do Brasil na década de 70. Após pedir um empréstimo em dólar para tentar concluir a construção do empreendimento, houve uma super desvalorização da moeda nacional e a dívida aumento 20 vezes.

A família Pires perdeu 80 apartamentos, três casas comerciais, dois prédios, duas casas grandes, além de todo o patrimônio que a família havia construído durante uma vida inteira.

A mudança na situação financeira da família atingiu também os três filhos: Marcos, David e Daniel. Marcos, que estava estudando Economia do Rio de Janeiro, voltou para João Pessoa para estudar Direito na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Segundo ele, a escolha pelo curso veio como uma necessidade de ajudar os pais: “Meus pais precisavam de advogado para fazer sua defesa e nós não tínhamos dinheiro. Por isso resolvi me formar em Direito para defender os direitos de dona Creusa e seu Adrião e tirar o nome dos dois dos cartórios de protestos".

…e continua girando

Mesmo com o fim do patrimônio, Creusa Pires descobriu que poderia trilhar outro caminho. O ano de1992 marcou sua primeira entrada como vereadora eleita de João Pessoa, e atuou pelos movimentos sociais e em favor dos idosos.

O trabalho pelos idosos resultou na criação do ‘Clube da Melhor Idade da Paraíba’, e foi bastante criticada por criar um grupo voltado exclusivamente para os idosos. A ideia de fundar o clube veio através do incentivo da Embratur, que na época queria estimular o turismo para as pessoas com mais de 60 anos.

Dentro da proposta foram desenvolvidos o ‘Grupo de Animação Creusa Pires’, que transitava por hospitais, creches e asilos, o ‘Bloco da Maior Idade’, integrante do projeto ‘Folia de Rua’ e o abrigo de idosos Associação Metropolitana de Erradicação da Mendicância (Amem).

A atuação com os idosos foi, durante muito tempo, a principal ocupação da sua vida. Para ela essa era uma forma de “levar alegria aos que encontram-se nos leitos de hospitais, doentes, muitos abandonados pelas famílias. Você precisa visitar aos asilos da cidade, as casas que hospedam velhos abandonados, para vê o sofrimento de quem vive longe do convívio familiar".

Mas a vida de Creusa era cheia de novidades, e a empresária e vereadora também transitou pelo teatro escrevendo e apresentando peças que até hoje são encenados pelo ‘Grupo da Maior Idade da Paraíba’: “A verdadeira história de chapeuzinho vermelho e sua vovozinha muito pirada”, “Pastoril dramatizado da 3º idade” e as danças: “Ciranda, Luar do Sertão, e Ararunas”. Também foi apresentadora do programa ‘Melhor Idade no Ar’ produzido pela Rádio Tabajara.

O adeus aos 80 anos

Creusa Pires marcou a história da Paraíba por ter se tornado uma grande empresária, em uma época que as mulheres deveriam apenas administrar a casa e a família. Venceu as adversidades mostrando fibra e garra, e se reinventou  através da sua própria fragilidade. Mostrou que os idosos devem ser tratados com respeito, e por qual motivo também não podem se divertir?

Em 2009, aos 80 anos foi surpreendida com um câncer no intestino. Foi sepultada com a camisa do ‘Bloco da Melhor Idade’.

Quando era questionada sobre todos os problemas que enfrentou, Dona Creusa Pires conseguia encontrar um lado positivo. “Perdemos tudo. Ficamos sem nada. Mas, em compensação, não ficamos devendo a ninguém, nem ao banco, nem aos 250 funcionários, todos indenizados e hoje nossos amigos. Isso é o que vale: manter a honra, ter a cabeça erguida, e seguir em frente, porque assim é a vida", disse.

Para conhecer a história de Creusa Pires

Livro: “Creusa ‘Dos Anjos’ Pires Bezerra”
Autora: Edna Martins Paiva

No livro estão reproduções de artigos e matérias jornalísticas sobre a vida e a morte de Creusa Pires, além de depoimentos de familiares, amigos e admiradores. Registro também das homenagens feitas pela Câmara de Vereadores de João Pessoa, Assembleia Legislativa da Paraíba e outras instituições. A publicação traz também ilustrações com fotos dela em eventos culturais, sociais e filantrópicos.

Portal Mulher de Fato, Dani Rabelo (com informações de Zé Euflávio)

Título Mulher de Fato