Notícias

Sobrevivente dos Andes faz palestra, pela primeira vez, no Nordeste

Atualizado em: 12/07/2012

Da iminência da morte à condição de um dos conferencistas mais aclamados do mundo. O uruguaio Nando Parrado, vítima de um dos mais graves acidentes aéreos na Cordilheira dos Andes, em 1972, é um protagonista de uma história real, que mistura coragem, determinação e superação de limites. Ele estará em Natal-RN, na próxima quarta-feira (18/07), no Teatro Riachuelo, para falar sobre liderança e como tornar possível situações que parecem impossíveis, no Seminário Internacional de Liderança. O evento contribui para consolidar a capital potiguar como um dos principais palcos brasileiros do management nacional e internacional.

Nando enfrentou, por mais de 10 dias, montanhas geladas, temperaturas negativas e escassez de comida para ir em busca de socorro. O seu esforço heróico ajudou a salvar a vida de mais 15 pessoas que sobreviveram à tragédia. No acidente, faleceram sua mãe e sua irmã.

A superação do episódio, ocorrido há quase 40 anos, fez de Nando Parrado uma referência na vida e também no mundo corporativo. Sua história originou o best-seller “Milagre nos Andes”, de sua própria autoria, e foi tema do filme “Alive” (Vivos). Em 2010, foi considerado o melhor palestrante do mundo pelo World Business Fórum, além de já ter recebido os três maiores reconhecimentos de um conferencista internacional: principal orador, em 2007; principal conferencista, em 2009; e capa da revista Speaker, a mais influente do setor – edição de junho de 2009.

A expectativa do evento é de atrair um público estimado em 1.500 participantes, entre empresários, executivos, gestores, bem como estudantes e demais profissionais interessados em reciclar conhecimentos e implantar conceitos de sucesso em suas carreiras. As inscrições podem ser feitas pelo site www.seminarioskemgroup.com.br.

Milagre nos Andes

Em outubro de 1972, um avião uruguaio levando para o Chile um time de rúgbicaiu no meio dos Andes. Setenta e dois dias se passaram até que 16 dos 45 ocupantes iniciais conseguissem ser resgatados com vida. Nesse tempo, diante da fome e de relatórios da rádio com a notícia de que a busca por eles tinha sido abandonada, os sobreviventes alimentaram-se dos passageiros mortos que haviam sido preservados na neve. Nando Parrado foi um dos líderes da expedição que saiu em busca de socorro. A tragédia ficou conhecida como a mais espetacular prova de resistência humana que se tem notícia na história.

Taciana Chiquetti

Notícias