Notícias

Procon orienta consumidores para o Dia das Crianças

Atualizado em: 03/10/2012

brinquedos

Com a proximidade do Dia das Crianças (12), o Procon de João Pessoa divulgou dicas para que os consumidores não fiquem prejudicados na hora de comprar os presentes para os pequenos. Pesquisar os preços e observar a qualidade e segurança dos produtos são as principais recomendações dadas pelo órgão de defesa do consumidor.

O Procon ainda alerta que, em meio a tantas opções, é preciso verificar a indicação da faixa etária e tomar cuidado redobrado em produtos importados, que precisam atender às regras nacionais.

De acordo com o coordenador do Procon-JP, Marcos André Araújo, as compras para o Dia das Crianças requerem ainda mais cuidados. “O Código de Direito do Consumidor determina que o fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança”, destacou.

Por isso, ele recomenda que um dos principais cuidados é observar se o produto é certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). O cuidado é importante porque indica que o brinquedo foi submetido a testes e possui garantias mínimas de segurança.

Riscos à saúde

O Procon-JP também orienta que os pais devem comprar produtos de acordo com a idade dos filhos. “Muitos brinquedos possuem partes desmontáveis e as crianças correm o risco de engolir ou se machucar com extremidades cortantes”, alertou acrescentando que, antes da criança começar a usar, é importante também observar o que recomenda o próprio manual de instruções.

O consumidor ainda deve ficar em alerta em relação ao comércio informal. Apesar de oferecer uma grande variedade de produtos para crianças com preços baixos, é preciso ter mais cuidado para não levar para casa produtos falsificados que podem ter sido feitos com materiais tóxicos ou que quebram com mais facilidade.

“Além disso, existem os cuidados comuns em toda compra, como saber as condições de troca dos produtos, quais as garantias em caso de defeito e se existe assistência técnica, principalmente em equipamentos eletrônicos”, recomendou Marcos Araújo.

Fonte: G1 Paraíba

Notícias