Notícias

PB: Conselho de Ética do Mercado Publicitário elege membros

Atualizado em: 25/04/2014

abap e sinapro

conselho1                               conselhor2

Em reunião histórica na tarde desta quinta-feira (24), no Hotel Nord Blue Sunset, em João Pessoa, a Associação das Agências de Propaganda da Paraíba (ABAP-PB) e o Sindicato das Agências de Propaganda da Paraíba (SINAPRO-PB), realizaram a eleição dos membros do Conselho de Ética do Mercado Publicitário Paraibano e deflagraram o funcionamento do mesmo.

O Conselho é o órgão competente para conciliar, mediar e arbitrar conflitos e controvérsias no ambiente de autorregulação, disciplinado pelas “Normas-Padrão da Atividade Publicitária” e pelos Estatutos Sociais do CENP, bem como para investigar, instruir e julgar os procedimentos a ele submetidos relacionados a outras questões ético-profissionais.

A atuação do Conselho se dará com base em fatos apurados por diligências técnicas de verificação ou por solicitação fundamentada de Agência de Publicidade certificada pelo CENP, de Veículo ou Anunciante.

De acordo com o presidente da ABAP-PB, Expedito de Carvalho Junior, “a ABAP-PB, no instante em que convoca o funcionamento do Conselho de Ética, enxerga esse momento como uma demonstração inequívoca de amadurecimento do mercado publicitário paraibano, que aponta a um novo ambiente irreversível de valorização profissional da Propaganda no nosso estado. Vamos em frente”.

Formação

O Conselho de Ética das Agências de Propaganda da Paraíba é formado por cinco integrantes, sendo dois representantes de Agências de Propaganda associadas à ABAP-PB, dois representantes de Agências de Propaganda associadas ao SINAPRO-PB e um representante de Campina Grande, podendo este pertencer à qualquer uma das duas entidades. Esses membros são indicados pelas entidades fundadoras (Abap-PB e Sinapro-PB), para mandato de dois anos, passíveis de recondução.

Na reunião, Edu Cury, da agência Superliga66, foi eleito Presidente-Mediador do Conselho. Os demais membros são Ruy Dantas, da Sin Comunicação; Luiz Carlos de Carvalho, da Faz Comunicação; Max Leal, da Três Comunicação e Gustavo Henrique, da CaféCom Propaganda.

Para Edu Cury, “a implantação do Conselho de Ética é um marco que mostra evolução na relação entre as agências. Um sinal de maturidade e respeito entre os players do mercado no que toca métodos de prospecção e limites da dignidade profissional”.

Max Leal, integrante do Conselho e ex-presidente da ABAP-PB que na sua gestão promoveu a criação do Conselho, destacou que “a importância está no fato de que a partir de agora o mercado publicitário, especialmente as agências que tomaram a iniciativa, tem um instrumento para mediar as relações comerciais que nem sempre se dão de forma justa, limpa e transparente como a gente deseja. É preciso ter um instrumento, um fórum legítimo e transparente que ajude a mediar essas relações. Isso beneficia o mercado, inclusive o cliente anunciante, na medida em que as disputas serão estabelecidas não com base em instrumentos pouco ortodoxos, mas como base no talento. O anunciante acaba ganhando e as agências também”.

O Regimento Interno do Conselho, aprovado na reunião, regulamenta o andamento e julgamento dos procedimentos de conciliação, mediação, arbitragem e outros procedimentos éticos submetidos ao Conselho de Ética do CENP, com base nos seus Estatutos Sociais, nas “Normas-Padrão da Atividade Publicitária” e demais documentos normativos emanados do Conselho Executivo, respeitados os princípios ético- profissionais e a legislação do país.

Fonte:Assessoria

 

Notícias