Notícias

Páscoa: Sete conselhos para evitar aborrecimento nas compras

Atualizado em: 14/03/2012

Após o Carnaval, já começam os preparativos para o feriado da Semana Santa, e junto com esses dias de folga, comemora-se a Páscoa. Para os católicos, a data possui uma grande representação, porém, para o comércio, o momento é uma grande oportunidade para o aumento na venda dos produtos específicos da época.  Entre as principais dicas para o consumidor, a pesquisa de preço é a mais importante, pois a diferença do preço de venda entre os estabelecimentos pode ser exorbitante.

Para o especialista em Direito do Consumidor, Helton Renê, “existe um frenesi no mercado para seduzir o consumidor mais desavisado na busca dos produtos próprios do período”. Por causa da “correria” do dia a dia e da necessidade cada vez maior que as coisas sejam “práticas”, os mais desatentos “amargam no bolso uma especulação própria da época, pois a páscoa comercialmente falando, é uma data um tanto cara” para o bolso do cidadão”, destacou.

Baseado no que é consumido nesses dias, Helton Renê destaca sete conselhos para que o consumidor aproveite da melhor forma a Páscoa, sem prejudicar o orçamento.

1 – Antes de tudo e se puder, evite levar as crianças para a compra dos ovos de páscoa. As produções dos ovos de chocolate são estrategicamente projetadas para deixar os pais numa verdadeira sinuca-de-bico. Quanto maior e colorido mais caro, portanto mais atraente para a meninada. É difícil um pai ou mãe resistir ao brilho dos olhos do filho nesse momento. Melhor não arriscar.

2 – Para atrair uma quantidade maior de consumidores mirins, o mercado apostou no “brinde surpresa”, que nada mais é que um acessório ou um brinquedo que vem dentro dos ovos, assim, verifique se na embalagem do ovo existe algum selo do INMETRO, se não tiver, não compre.

3 – Com esse mesmo cuidado observe a lista de ingredientes e a tabela de informação nutricional constantes nos rótulos. Os ingredientes utilizados na preparação dos chocolates devem ser declarados na lista de ingredientes. Assim, faça a opção por chocolates com maior teor de cacau e, consequentemente, menos açúcar.

4 – Por que comprar um ovo gigantesco? Se a idéia é unir toda a família para um momento especial é nobre, mas desembolsar até R$ 200,00 em um pedaço de chocolate é mesmo jogar dinheiro fora. Pelo mesmo valor você pode ir a um restaurante com os entes e ainda presentear os filhos com pequenos ovos, que custam em torno de R$2,00.

5 – Outra opção interessante e mais barata é comprar algumas barras de chocolates e junto com a meninada produzir um ovo caseiro. É fácil a produção e o custo é bem mais em conta. Pode-se inclusive trabalhar a educação orçamentária do lar já com os futuros compradores. Qualquer dúvida pode-se pegar dicas na internet. Existem muitas idéias.

6 – Evite adquirir os ovos nas calçadas das ruas. Além de não possuir qualquer garantia do produto ser autêntico, o calor e os raios do sol podem alterar facilmente a composição química no chocolate, modificando o sabor, qualidade e validade. Nesse mesmo sentido, evite adquirir ovos quebrados. O manuseio por muitos também causa alteração na qualidade.

7 – Solicite sempre um recibo ou nota fiscal. É com ela que você poderá provar que adquiriu o produto no estabelecimento comercial. Guarde consigo a nota bem como a embalagem por 30 dias, pois esse é o prazo legal para reclamação caso o produto venha a apresentar algum problema na saúde.

Da Redação

Notícias