Notícias

Mulheres devem ocupar cargos na Cúria Romana, diz cardeal Walter Kasper

Atualizado em: 03/03/2014

mulheres na igreja

mulheres1

O Presidente Emérito do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, Cardeal Walter Kasper, defende a presença das mulheres em cargos da Cúria Romana. “As mulheres devem estar presentes em todos os níveis de responsabilidade da hierarquia da Igreja católica, como nos Pontifícios Conselhos”, disse o cardeal alemão ao jornal do episcopado italiano “Avvenire”.

Dom Kasper assegura que as mulheres podem desempenhar funções altas em Conselhos como a Família, a Cultura ou as Comunicações Sociais. “Nestes cargos não existe hoje presença feminina e é um absurdo. Nos Conselhos, como em outros órgãos vaticanos, a autoridade pode ser exercida por mulheres”, declara.

Segundo ele, “a presença feminina pode ser preciosa também em setores dedicados à administração, assuntos econômicos, tribunais… âmbitos de competência em que as renomadas capacidades profissionais femininas se destacam, mas ainda não são adequadamente consideradas”.

Na entrevista, o cardeal, que foi encarregado pelo Papa de abrir o recente consistório sobre a Família, considera ainda que é “indispensável a contribuição de riqueza e capacidade intuitiva do gênio feminino”.

“Podemos imaginar hoje estruturas comunitárias, de caridade ou culturais sem a presença de uma mulher? Sem elas, a Igreja seria um corpo mutilado. Sem as mulheres, as paróquias fechariam amanhã”, adverte o Cardeal Kasper.

Ele também defende uma maior participação das mulheres nos preparativos do Sínodo extraordinário de outubro deste ano e do Sínodo geral de 2015: “Até hoje, as mulheres presenciaram os Sínodos apenas como ouvintes, ou com funções pouco relevantes. Duas ou três ouvintes sempre intervêm no final dos trabalhos, depois que todos falaram”.

O Cardeal Kasper questiona como se pode preparar um Sínodo sobre a Família sem contar com as mulheres. “Sem a mulher, a família simplesmente não existe. É insensato falar de família sem ouvir as mulheres, que deveriam, a meu ver, ser chamadas e ouvidas desde já, a partir dos preparativos”, aponta
Fonte:CançãoNova

 

Notícias