Notícias

I Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa

Atualizado em: 30/11/2013

28_11_13_Festival_Internacional_de_Musica_foto_Alessandro_Potter_002

Músicos falam sobre a expectativa para o I Festival Internacional de Música Clássica

O I Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa terá início no próximo domingo (1º), mas a expectativa para o início das apresentações já toma conta da cidade. Na manhã desta quinta-feira (28), os músicos que estão na Capital concederam entrevista coletiva no Gabinete do Prefeito, no Paço Municipal, onde falaram sobre a preparação para o evento. Eles estavam ao lado do prefeito Luciano Cartaxo e do coordenador executivo da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Maurício Burity.

Na coletiva, o prefeito Luciano Cartaxo destacou a oportunidade da Capital em ter um evento de porte internacional. “Esse evento traz um momento importante para inserir João Pessoa no roteiro da música clássica. É um projeto que veio pra ficar, apostando na cultura e também no turismo. Vamos poder mostrar a força da cultura erudita da Capital e ainda aumentar o nosso potencial turístico, antecipando a alta temporada do setor”, destacou.

Para Maurício Burity, o evento será uma oportunidade para difundir a música clássica na Capital. “Este gênero atinge pessoas de todas as idades e também dos mais diversos gostos musicais. O Festival vai contribuir na formação do gosto e na apresentação da música erudita para a cidade. É um evento complexo e que vai criar uma identidade com a população e com a cidade”, afirmou.

Entre os músicos presentes na coletiva estivam a pianista ucraniana Ana Federova,

o violoncelista holandês Fred Pot,

a violoncelista brasileira Ana Maria Chamorro,

o violinista holandês Alberto Johnson, e o pianista brasileiro Paulo Gazzaneo, 

além do maestro Laércio Diniz, da Orquestra Sinfônica Municipal de João Pessoa.


Expectativas – A pianista Ana Federova falou sobre a emoção de estar pela primeira vez no Brasil e o sentimento de participar do evento. “Estou adorando tudo no País e ainda mais por ser um festival, o que traz um clima muito agradável por trazer a oportunidade de fazer música junto a outros grandes instrumentistas. Cada festival é diferente do outro e estou ansiosa para o início”, afirmou.

Já o pianista Alberto Jhonson, destacou que a experiência de participar de um evento como este marca a vida do músico e do público para a vida toda. “São momentos incríveis e que enriquecem muito todos os presentes pela troca que sempre acontece. Acredito que o público de João Pessoa vai poder aproveitar muito o Festival”, apostou.

Ambientação – Um dos temas destacados na coletiva foi a escolha de igrejas históricas para receber a maioria das apresentações. “Trata-se de uma escolha estética, já que grande parte deste repertório foi criado e tocado dentro de catedrais históricas”, explicou o maestro Laércio Diniz. “Foi uma escolha estética e também técnica, já que costumam apresentar uma acústica muito boa que favorece a música”, destacou.

Ana Federova acredita que as igrejas trazem uma atmosfera maravilhosa para a execução de peças clássicas. “O ambiente antigo realmente cria uma conexão imediata do público com as canções e, por isso, a experiência é sempre especial. Eu me sinto muito bem tocando em ambientes como este”, revelou.

Orquestra Sinfônica – O maestro Laércio Diniz ainda falou sobre a criação da Orquestra Sinfônica de João Pessoa, que foi recentemente instituída pelo prefeito Luciano Cartaxo. “Criar uma orquestra é um ato muito difícil e de extrema coragem, principalmente em um momento em que o mundo fecha as portas para a cultura. Aqui o risco foi ainda maior por isto estar aliado à realização do Festival. O que esperamos é que estes atos possam refletir a tradição clássica que existe em João Pessoa”, afirmou o maestro.

O Festival – O I Festival Internacional de Música Clássica de João Pessoa acontece de 1º a 7 de dezembro. A abertura será realizada no Adro da Igreja São Francisco. Durante todo o Festival, diversas igrejas da Capital, a exemplo da Igreja da Misericórdia, 1ª Igreja Batista e Mosteiro de São Bento, vão receber músicos renomados de todo o mundo Holanda, Bélgica, Estados Unidos, Austrália, Rússia, Prússia, Argentina e Alemanha.

Masterclasses – No período de realização do Festival, estudantes de música e artistas locais poderão ter contato com os músicos convidados. Isso acontecerá por meio das masterclasses, que acontecerão no período da manhã e vão possibilitar a troca de experiências e a propagação do conhecimento na área. As aulas serão realizadas na Sala Radegundis Feitosa, no Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Conheça os músicos convidados:

—  Alberto Jonhson      – Violino (Brasil/Holanda)
—  Pamela Kubik          – Violino (Argentina)
—  Nathan Olson           – Violino (USA)
—  Laurens Otto            – Trompa (Holanda)
—  James Aylward        – Fagote (Austrália)
—  Ana Chamorro         – Violoncelo (Brasil)
—  Fred Pot                    – Violoncelo (Holanda)
—  Anna Federova         – Piano (Ucrânia)
—  Kerstin Kendler         – Violino (Alemanha)
—  Samuel Espinoza        – Viola (Brasil-Chile)
—  Eduardo Olloqui        – Oboé (Espanha)
—  Paulo Alvares            – Piano (Brasil)
—  Barbara Deleu           – Flauta (Bélgica)
—  André Kever              – Clarinete (Holanda)
—  Igor Bobylev              – Viola (Ucrânia)
—  Laércio Diniz             – Maestro (Brasil)

Fonte: Assessoria

Notícias