Notícias

França assina lei que proíbe modelos com magreza excessiva em desfiles e campanhas

Atualizado em: 07/04/2015

adriana-degreas-desfile-verao-2015

O presidente François Hollande sancionou a lei na última sexta-feira (03).

O governo da França, país-sede das maiores grifes e revistas de moda do mundo, acaba de assinar uma lei que proíbe modelos muito magras em desfiles e campanhas. Quem descumprir a regra pode estar sujeito a prisão de até seis meses e multa de 75 mil euros.

De acordo com a nova lei, as modelos só poderão trabalhar se o Índice de Massa Corporal (IMC) estiver dentro do proposto por autoridades de saúde e do Ministério do Trabalho – número que ainda não foi definido. Só para se ter uma ideia, uma modelo comum, com medidas de 1,75m e 50 kg, ostenta um IMC de 16, que se enquadra no nível de subnutrição.

A norma também atinge sites que incitam a magreza “incentivando dietas por um período prolongado de tempo, resultando em risco de mortalidade ou danos à saúde”. A punição para estes casos varia de multas que chegam a 100 mil euros a prisão de até um ano. Ambas as medidas são parte de uma ofensiva mais ampla contra a anorexia por parte do presidente francês, François Hollande.

Estudiosos da área de saúde estimam que cerca de 30 mil a 40 mil mulheres, a maioria adolescentes, sofrem de anorexia naquele país.

Fonte: MdeMulher

Notícias