Notícias

Facebook e aplicativo Lulu são investigados pelo Ministério Público

Atualizado em: 02/12/2013

lulu

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios instaurou na última sexta-feira (29) um inquérito contra a Luluvise Incorporation, a empresa responsável pela criação do polêmico aplicativo Lulu, e também contra o Facebook por "ofender direitos da personalidade de milhões de usuários do sexo masculino".

De acordo com a publicação, as duas empresas tem o prazo de cinco dias para prestar esclarecimentos.
"Essa situação evidencia ofensa a direitos existenciais de consumidores, particularmente à honra e à privacidade, ensejando medidas administrativas e, eventualmente, condenação por dano moral coletivo", diz o comunicado do órgão.

O aplicativo Lulu foi lançado há duas semanas e permite apenas às mulheres avaliarem homens, e de forma anônima. Vale lembrar que os participantes da rede não podem escolher se querem ou não serem avaliados – o aplicativo automaticamente puxa perfis masculinos do Facebook e cria automaticamente uma versão para o app a medida em que as participantes mulheres acessam à rede.

A assessoria de comunicação do Lulu no Brasil disse à mídia ainda não ter informações sobre a notificação. A assessoria de comunicação do Facebook informou que a empresa não comentará o caso.

Fonte: IDGNOW!

Notícias