Notícias

Fábrica de picolé e cooperativa de avicultura vencem Prêmio Sebrae Mulher de Negócio na Paraíba

Atualizado em: 29/02/2012

Histórias de superação, persistência e empreendedorismo. Estas são algumas das características das vencedoras do Prêmio Sebrae Mulher de Negócio, que foram conhecidas em cerimônia de premiação na noite desta terça-feira (28), em João Pessoa. As primeiras colocações ficaram com Renate Cristine de Negreiros, da Casitus em João Pessoa, e Maria de Nazaré dos Santos Barbosa, da Cooperativa Paraibana de Avicultura Alternativa e Agricultura Familiar, em São Sebastião de Lagoa de Roça. Elas venceram nas categorias ‘Pequeno Negócios’ e ‘Negócios Coletivos’, respectivamente, e levaram o troféu de ouro na etapa estadual. Agora as duas vão disputar a fase nacional da premiação.

Ao receber o troféu na cerimônia do prêmio, Renate destacou que a sua garra e persistência foram fundamentais para o crescimento da empresa, a fábrica de picolé que fundou há doze anos e, hoje, é reconhecida em todo o Estado e comercializada nas praias da Capital e em grandes supermercados. “Nós mulheres sabemos como é difícil sermos empreendedoras. Espero que minha história sirva de exemplo para outras mulheres e sei que a Casitus está participando do crescimento do nosso Estado. Estou orgulhosa em poder representar a Paraíba na fase nacional do prêmio”, disse a empresária.

O troféu ouro para a categoria Negócios Coletivos foi para a pequena cidade de São Sebastião de Lagoa de Roça, com cerca de 10 mil habitantes, próxima a Campina Grande. A Cooperativa Paraibana de Avicultura Alternativa e Agricultura Familiar (Copaf), criada em 2005 e formada por 16 mulheres, tem contribuído para o fortalecimento da renda dos produtores rurais e estimulado o desenvolvimento sustentável da região. “Esse prêmio é muito importante para os agricultores familiares. Sem a força de trabalho deles, a cooperativa não teria sentido. Nosso desejo agora é transformar nosso município em um pólo de avicultura e agricultura familiar”, disse Maria Nazaré, após o receber o troféu das mãos do superintendente do Sebrae-PB, Júlio Rafael.

“Esse é um momento de confraternização com as mulheres que vem construindo suas famílias e modificando nossa sociedade. Estamos aqui também para dizer que o Sebrae está junto com essas empreendedoras, construindo um novo mundo, mais justo e igualitário”, destacou Júlio Rafael, na cerimônia desta terça. O diretor administrativo do Sebrae, Ricardo Madruga, também ressaltou o exemplo das mulheres empreendedoras. “Esse prêmio cria um ambiente positivo para despertar o empreendedorismo entre as mulheres. Todas estão de parabéns”, disse Madruga.

Outras vencedoras

Na categoria ‘Pequenos Negócios’ também foram premiadas em segundo lugar Rejane Maria dos Santos, da Caçula Construções (Princesa Isabel) e em terceiro lugar Clair Leitão Martins Diniz, Clair & Leitão Contabilidade Pública (Patos). Já em ‘Negócios Coletivos’ foi reconhecido, em segundo lugar, o trabalho de Maria da Paz Nascimento dos Santos e Silva, da Associação Comunitária Agropecuarista do São João (Pombal) e em terceiro as atividades de Francisca das Chagas Vasconcelos, da Associação de Apoio a Mulher Patoense (Patos).

De acordo com a gestora estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, Maria José Menezes, a premiação objetiva valorizar e reconhecer as trajetórias de vida de mulheres paraibanas que, com visão e perseverança, transformaram o sonho de ter seu próprio negócio em modelo de empreendedorismo feminino. Ela informou que no dia 8 de março serão conhecidas as vencedoras nacionais do Prêmio. Na mesma data serão abertas as inscrições para a próxima edição da premiação.

Nesta oitava edição do prêmio, que teve como o slogan “Sua trajetória pode abrir caminhos para milhares de outras mulheres”, o Sebrae Paraíba recebeu 36 inscrições de mulheres empreendedoras de várias regiões do Estado. As histórias inscritas passaram por um processo de julgamento, composto de avaliação e verificação in loco das informações prestadas nos relatos melhor pontuados pela comissão. Em seguida, uma comissão julgadora definiu as seis histórias vencedoras do prêmio.

As primeiras colocadas em cada categoria – Pequenos Negócios e Negócios Coletivos – irão concorrer com as vencedoras de outros estados na etapa regional, podendo ser indicadas para a final nacional. As empresárias premiadas na etapa estadual recebem troféu, certificado e um selo de reconhecimento, além de um curso oferecido pela instituição e 16 horas técnicas de consultoria.

Agência Sebrae

Notícias