Notícias

Estação promove sarau em homenagem a João Pessoa

Atualizado em: 28/08/2013

esta%C3%A7ao

A Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano,promove um sarau em homenagem ao aniversário de 428 anos de João Pessoa nesta quinta-feira (29), às 19h, no segundo pavimento da Torre Mirante. O evento será conduzido pela professora de Letras da Universidade Federal da Paraíba, Gláucia Machado, e aberto pelo cantor Kennedy Costa. Com o tema “Multiplicidade Poética”, o projeto Varal Poético propõe um encontro de declamação com direito a apresentações de música e de teatro. A entrada é gratuita.

“A intenção desta edição do Varal é mostrar o trabalho dos poetas que está sendo gestado nos bancos acadêmicos”, diz Pedro Henrique da Luz, coordenador do setor Gestão Educacional, responsável pelo projeto.O último Varal Poético, realizado em 31 de julho, reuniu uma multidão no hall de entrada da Estação das Artes, que cantou e celebrou a música de Chico Buarque.

“Os alunos fizeram um intenso levantamento em torno de escritos, cordéis e canções antigas e contemporâneas sobre a cidade. Por isso propusemos o nome de Multiplicidade Poética”, diz a professora Gláucia. Não apenas de ressuscitar vultos do passado, mas de produzir novos poetas e poesias se propõe o sarau. Por isso, os estudantes convidados da disciplina Literatura Brasileira da UFPB produzirão na hora um poema coletivo baseado na crônica “O grau zero”, de Caio Fernando Abreu. O público também vai dispor do Fotopoema, um miniestúdio fotográfico destinado a registrar a presença de cada visitante.

Outro momento do sarau vai ser aberto para o teatro. O diretor do Núcleo de Teatro da Estação, Flávio Melo, dirigirá uma série de exercícios cênicos em que os alunos vão apresentar, dois a dois, performances utilizando a cidade como cenário ou tema dos diálogos. “A ideia é trabalhar a capacidade de improvisação e os picos de dramaticidade em pouco tempo”, explica.

Varal Poético

“Varal Poético” é um trocadilho entre a palavra “sarau” e o local onde trechos das obras dos artistas convidados ficam expostos antes de serem recolhidos pelo público para a declamação. A proposta é incentivar as várias interpretações da palavra num clima de confraternização. Cada pessoa se dirige ao varal, escolhe as estrofes que mais lhe agradam e as declama segundo a sua interpretação.

Pelo projeto já passaram de cantores e poetas a atores, como a dupla Os Nonatos, o crítico musical Ricardo Anísio, a poetisa e militante feminista Vitória Lima e o ator Marco di Aurélio. Todos foram garantia de terças e quartas cheias à noite na Estação Cabo Branco e Estação das Artes.

Gláucia Machado

Formada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (1985), mestre em Letras: Literatura Brasileira, pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994) e doutora em Literatura Brasileira pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP, 1999). Fez estágio pós-doutoral na UniversitéLumière-Lyon 2, na França (2002-2003). É professora adjunto da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), coordena o grupo de pesquisas poéticas Interartes e desenvolve atividades com ênfase em Literatura Comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: poesia brasileira, experimentalismo, literatura e outras linguagens.Atualmente desenvolve cooperação técnica no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa.

Assessoria

Notícias