Notícias

Educadora critica incitação à violência contra mulher em universidade do RS

Atualizado em: 28/04/2015

faculdade

No Dia Internacional da Educação, Viva Maria comenta caso do professor universitário que ministrou aula machista a alunos de Direito

 

No Dia Internacional da Educação, o Viva Maria se apressa em repudiar a atitude de um professor da PUC do Rio Grande do Sul que teve a coragem de dar uma aula de machismo aos alunos do sétimo semestre de Direito, na última quarta-feira (22).
 
Em tom de piada, em plena sala de aula, disse em alto e bom som que as “leis são como as mulheres, feitas para serem violadas”. E diante de tamanha incitação explícita ao estupro, em vez de repúdio, acredite se puder, Maria, esse professor que, tudo indica é especialista em lições de misoginia, acabou de ser alvo de uma manifestação de desagravo de seus alunos. Na sexta-feira passada, ele foi aplaudido pela turma!
 
 
Na ausência de palavras para traduzir nossa incredulidade e estarrecimento, vamos ouvir a educadora Ana Lièse Thurler, pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB), professora de Sociologia das Relações Sociais de Gênero. Como cidadã do Rio Grande do Sul, como explicar tal atitude?
 
“A perplexidade que tomou conta de mim foi esse conjunto todo, desde a declaração do professor, que, para mim, é duplamente grave por ele dizer que as leis são feitas para serem violadas, quando nós sabemos que no Brasil existem leis que pegam e não pegam. Nós lutamos por projetos que aprovem boas leis e que essas leis sejam aplicadas e cumpridas. Então, ele atinge os seus alunos enquanto profissionais e a postura existencial desses alunos quando ele diz que as mulheres também são feitas para serem violadas”, destacou Ana.

 

Fonte: Da Redação com EBC
 
 

Notícias