Notícias

Cresce número de mulheres no primeiro emprego

Atualizado em: 14/03/2012

Em 2011, 1.410.110 mulheres ingressaram no mercado formal de trabalho pela primeira vez. O número de admissões por primeiro emprego neste período mostra expansão e força da mão-de-obra feminina, pois, em 2010, 1.322.300  tinham sido contratadas pela primeira vez, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).  Já para os homens, os números que apontam o primeiro ingresso no mercado de trabalho o crescimento foi bem menor, 1,63 milhão em 2010 e 1,66 milhão em 2011.

O número de mulheres no mercado de trabalho tem crescido, conforme apontam os dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do MTE. Em 2002, o mercado contava com estoque de 11.418.562 mulheres formalmente empregadas; em 2011, passou para 19.206.197.

Embora a participação da mulher no mercado de trabalho formal tenha se ampliado, ainda é distante a igualdade salarial entre o sexo masculino. Segundo dados do Caged, no recorte por gênero, o aumento real do salário médio de admissão em 2011 foi de 2,33% para as mulheres, frente aos 3,79% obtidos pelos homens.  O salário das mulheres ficou em R$ 829,54, sendo que o dos homens ficou na média de R$ 966,80. Os maiores aumentos do salário de admissão das mulheres por grau de instrução ocorreram nos níveis de escolaridade mais baixa, de Analfabeto (4,90%) até Fundamental Completo (2,96%). Os maiores percentuais de aumento entre os homens ocorreram nos níveis Quinta Série Completa Fundamental (4,56%) até Quinta Série Incompleta (4,16%) e no Superior Completo (4,03%).

Quanto à média salarial,  as mulheres tinham remuneração média de R$ 1.553,44 em 2010 e de R$ 1.271,95 em 2002; os homens, de R$ 1.876,58 e R$ 1.544,71 respectivamente, segundo a RAIS.

Com informações do MTE

Notícias