Notícias

Conteúdo em vídeo é apontado como maior desafio para anunciantes em 2014

Atualizado em: 27/12/2013

videos

á há algum tempo, conteúdo bem produzido vem sendo apontado como base para se alcançar o sucesso na internet. Na prática, esse conteúdo pode ter o formato de fotos, posts criativos, interações, boas redações ou, em especial, vídeos.

A eficácia dos vídeos online foi mais uma vez comprovada há pouco tempo em uma pesquisa do eMarketer, estimando que dos 182,5 milhões de pessoas conectadas a internet nos EUA – 75% de todos os usuários da rede no país – assistiram ou irão assistir vídeos online ainda este ano. Além disso, o estudo revela que os gastos de publicidade em vídeo na web devem fechar 2013 com um aumento de 40%, em relação ao ano anterior.

Neste contexto, outra pesquisa também chama a atenção do mercado publicitário. Uma análise da Harris Interactive mostra que mais de 40% dos usuários de redes sociais assistem TV e vídeos online, simultaneamente. Isso demostra o alto índice de conectividade entre as plataformas.

Portanto, apesar deste alto consumo de conteúdo em vídeo, e da imersão do mesmo no ambiente de mídia social, a publicidade em vídeo ainda é incipiente. De acordo a pesquisa “Demystified: Video Advertising on Social Networks”, feita pela Mixpo, 8,5% dos executivos de agências norte-americanas disseram que estavam insatisfeitos com a publicidade em vídeo e nenhum dos entrevistados disse que era especialista neste setor.

Entretanto, a vontade de expandir essa área é enorme, uma vez que 40% destes profissionais disseram que estão investindo para aprimorar o conteúdo em vídeo. Além disso, de acordo com o relatório da Mixpo, cerca de 70 % dos executivos de agências planeja anunciar no YouTube em 2014, enquanto quase um quarto quer executar anúncios em vídeo no Twitter.
Outro estudo relevante para o tema foi feito pela Unisphere Research, mostrando que 60% dos anunciantes nos EUA gostaria de aumentar seu conteúdo de vídeo em redes sociais e mais do que qualquer outra categoria de conteúdo.
Fonte:Proxxima

Notícias