Notícias

As características que definem o “emprego dos sonhos”

Atualizado em: 05/09/2013

sonho

Já imaginou se existisse um emprego em que todas as qualidades mais buscadas pelos trabalhadores estivessem reunidas? EXAME.com consultou especialistas e reuniu as principais características que o trabalho dos sonhos deveria ter para oferecer mais qualidade de vida aos seus funcionários. Confira quais são elas:

1 Horários flexíveis

Não se trata somente de não ter um horário fixo para entrada e saída dos funcionários, mas também de oferecer a possibilidade de home office e de dias livres do trabalho, ainda que esporadicamente.

“Tudo tem a ver com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. As executivas mães preferem poder trabalhar de casa para poder ficar mais tempo com os filhos. Outras pessoas querem ter a oportunidade de se ausentar do trabalho por alguns dias para fazer um curso de aperfeiçoamento”, exemplifica o sócio da Alliance Coaching Sílvio Celestino.

Em relação ao home office, a professora Clara Linhares, da Fundação Dom Cabral, chama a atenção para um outro ponto: a geração Y não quer trabalhar somente à distância, ela sente necessidade de se relacionar com os outros funcionários da corporação. “Os jovens querem essa flexibilidade, mas precisam também estar presentes na empresa, ainda que por alguns dias, para poder construir um networking”, destaca.

2 Plano de carreira claro e rápido

“Os jovens, principalmente, querem visualizar sua carreira e ter mais velocidade para atingir cargos mais altos”, afirma Celestino.

3 Ambiente agradável e confortável

É mais do que um ambiente com uma arquitetura e uma decoração bonita, agradável. Está relacionado ao funcionário se sentir bem e confortável no ambiente corporativo.

“Em São Paulo, por exemplo, a maioria das empresas possui ar condicionado. Mas a cidade fica em uma zona temperada, não tropical. Faz frio em determinadas épocas do ano. Às vezes, o ideal seria ter um sistema de aquecimento também”, diz Celestino.

“Todo mundo gosta de ter uma casa bem arrumada. Hoje, o trabalho não é mais o lugar em que se faz o que é preciso e depois vai embora. É importante que o ambiente seja prazeroso e isso influencia até na produtividade”, afirma Danilca Galdini, sócia da Nextview People e coordenadora da pesquisa “Empresa dos sonhos dos jovens”, conduzida anualmente pela Cia de Talentos.

4 Abertura para novas ideias e inovação

A geração Y, de trabalhadores jovens, que ser ouvida, quer participar. Por isso, uma empresa ideal seria aquela em que há oportunidade para que o funcionário diga o que ele acha que é legal, sugira novas ideias, tenha espaço para colocá-las em prática.

“A companhia precisa permitir que eles pensem fora da caixa”, afirma Clara Linhares. “As pessoas querem deixar sua marca na empresa, querem ser parte das tomadas de decisões importantes, independente do cargo que ocupam. Essa é uma característica da geração Y, mas é tão forte que inflencia até mesmo as gerações anteriores”, diz  Renata Magliocca, professora da FIA.

5 Acesso a novas tecnologias

Neste caso, novas tecnologias não significam necessariamente equipamentos de ponta, ultramodernos; mas sim sistemas que já estão presentes na vida pessoal dos funcionários e que eles gostariam de poder usar no trabalho, como as redes sociais.

“Há empresas em que os funcionários enviam 200 e-mails por dia. Para a geração Y, isso é desgastante. Por que não ter uma rede social interna na qual seja possível alocar pessoas e projetos? As pessoas querem usar com naturalidade as tecnologias que já estão presentes no seu dia a dia”, explica Celestino.

6 Diálogo com o chefe

Qualquer profissional que queira se destacar precisa saber quais são os seus erros e acertos no trabalho, certo? Por isso, um feedback estruturado e uma boa comunicação com os superiores são pontos considerados importantes por quem busca a melhor empresa possível para se trabalhar.

“Quando não há um retorno, as pessoas têm impressão de que o que elas fazem não é importante, e ninguém quer isso”, avalia Celestino.

7 Liberdade para atender emergências pessoais

Não quer dizer a empresa não deva exigir nenhum tipo de controle de entrada e saída de funcionários, afinal isso é necessário para a organização. Trata-se de uma maior liberdade, sem muita burocracia, para que o colaborador possa sair do trabalho para atender uma emergência.

“É para os casos de precisar atender um parente doente, por exemplo. Controlar cada movimento do pessoal torna o ambiente de trabalho muito desfavorável”, exemplifica Sílvio Celestino.

8 Resultado por demanda, e não por meta

De acordo com a professora Clara Linhares, os funcionários querem entender o como o que eles estregam irá favorecer a organização, e não apenas receber metas com prazo determinado para cumprir.

9 Possibilidade de remanejamento interno

Segundo Celestino, há dois tipos bem claros de funcionários: os que estão começando a vida e querem viajar, ter oportunidades diferentes; e aqueles que querem ficar onde estão, seja por que já tem filhos ou já criaram raízes, por qualquer outro motivo. Há empresas em que alguns cargos exigem uma coisa, outra, sem flexibilidade.

“As pessoas não querem esse modelo 8 ou 80. Elas querem um processo menos burocrático para mudar para uma outra vaga dentro da empresa casos seus objetivos mudem ao longo da carreira”, diz Celestino.

10 Políticas de incentivo ao esporte e inclusão da família

Ter a oportunidade de praticar um esporte e de ter a família mais próxima do dia a dia no trabalho, é um dos desejos do emprego moderno, segundo a professora Renata Magliocca, da FIA.

“As pessoas querem aproveitar o tempo e querem cuidar de si. Não se separa mais tanto o trabalho da vida pessoal. Elas não querem ser felizes apenas nos fins de semana, e sim durante a semana toda”.

11 Treinamentos individualizados

Não basta reunir todo mundo em uma sala e contratar um guru para falar sobre negociação, por exemplo. Os funcionários estão interessados em desenvolver sua própria habilidade. Eles não querem aprender sobre temas gerais, mas desejam receber treinamentos customizados. Por isso, segundo Renata, a demanda por coach, treinamentos práticos e job rotation tende a crescer. “Eles querem ser vistos como únicos”, explica.

12 Salários e benefícios compatíveis com o mercado

Ainda que esteja longe de ser a principal característica procurada no emprego dos sonhos, não dá para ignorar que um salário justo e benefícios são importantes para satisfazer um funcionário, segundo Renata e Clara.

Exame

Notícias