Notícias

Artesã paraibana vende 1,7 mil peças para uma rede de restaurantes da Inglaterra

Atualizado em: 22/01/2012

Os salões de artesanato promovidos pelo Governo do Estado são vitrines onde os produtos dos artesãos locais são vistos por milhares de pessoas. Muitos artesãos que expõem nesses salões negociam contratos com clientes brasileiros e estrangeiros para, após o término do evento, produzir as peças encomendadas. Nesses negócios, eles conseguem faturar bem mais do que a soma das vendas no salão.

A artesã Maria das Neves Paiva, conhecida por Nevinha das Cerâmicas, é um exemplo disso. Ela recebeu uma encomenda de 1,7 mil peças para uma rede de restaurantes da Inglaterra e, com o pagamento, vai ampliar o atelier em Itabaiana. Presente nos salões de artesanato há várias edições, Nevinha das Cerâmicas aumenta as vendas a cada ano. “Vendo muito bem nos salões, onde também fecho negócios futuros com clientes que visitam as feiras”, disse.

Na próxima semana, Nevinha começará a produção das peças encomendadas na Inglaterra. Parte do pagamento já foi depositada na conta da artesã pelos clientes. Ela, o marido e colaboradores têm um prazo de 90 dias para entregar as panelas, que atravessarão o oceano via container, que faz o carregamento no atelier e segue para o porto de Suape, em Pernambuco. “O restante do pagamento será feito quando os clientes receberem os produtos e conferirem a carga, na Inglaterra”, contou.

De acordo com Nevinha, esta não é a primeira vez que os ingleses compram suas famosas panelas pretas e marrons. O primeiro pedido, há alguns anos, foi de 125 peças. No ano seguinte, eles compraram 750 unidades. O maior pedido, feito pela mesma rede de restaurantes ingleses, foi de três mil peças.

Ela revela que os ingleses são exigentes e se encantaram com a qualidade e com o acabamento de suas panelas e demais utensílios, uns feitos de barro comum e outros de argila especial. Por dia, são “armadas” 75 peças; no dia seguinte, elas passam pelo acabamento e secagem e, em seguida, vão ao forno. Por fim, são embaladas. Em 30 dias, a carga chega à Inglaterra.

Na mídia – No mês de fevereiro, a TV Brasil vai exibir uma edição do programa Paratodos gravado na Casa do Artista Popular, em João Pessoa, com cinco artesãos. Uma das entrevistadas foi Nevinha. Segundo ela, o restaurante Estrela do Mar, em Olinda (PE), usa somente as panelas pretas feitas em Itabaiana.

As peças, segundo ela, não são pintadas. “A cor preta é natural, fruto de uma técnica de queima que desenvolvi com meu marido nesses 33 anos de arte”, disse. As panelas são feitas com o barro comum. Já as peças pequenas são produzidas com a argila. Seus produtos suportam a temperatura de fogão industrial.

Fonte: Assessoria

Notícias