Notícias

A mulher que quebrou Cannes

Atualizado em: 25/06/2015

kim kardashin by EL 500

Kim Kardashian lotou auditório, atraiu as atenções pelos corredores, foi disputada por fotógrafos e demonstrou, ao vivo, o que é uma celebridade que sabe se apropriar do mobile

 

Muitas vezes as pessoas se perdem ao tentar defini-la. Quem é Kim Kardashian? No programa do festival, ela aparece como empresária. Na TV, é atração com o Keeping Up With The Kardashians. Mas o vice-presidente sênior da agência Sudler, Chris Duffey, a apresentou como uma mobile-celebrity. Estrela de um painel chamado Hollywood and Trends in Digital Storytelling, Kim entrou no palco depois de o público ter ouvido uma série de instruções sobre como deveria se comportar. Sem perguntas pessoais ou ofensivas. “Lembrem-se que vocês são profissionais”, disse um integrante do staff da organização.

A ordem era não tirar fotos, nem mesmo de celular. A ordem foi solenemente ignorada. Diante do público que conseguiu entrar na pequena sala Audi A, estava a rainha do selfie. Celulares foram acionados quase imediatamente à chegada da empresária. Kim e Nicola de Masi, presidente e CEO da Glu (publicadora de jogos mobile), foram entrevistados por Duffey sobre o game Kim Kardashian Hollywood e também sobre a atuação da empresária no ambiente digital, sobretudo na mídia social.
O jogo, que já amealhou cerca de US$ 200 milhões, segundo a Bloomberg, é uma espécie de versão do programa de TV, mas para o celular. Ou, como disseram, é uma experiência transmídia. A vida de Kim, seu guarda-roupa no dia e mesmo suas viagens entram na programação do game. A maior parte dos usuários é composta de mulheres, muitas se interessam por moda e beleza. “Foi muito divertido criar este game. Ele representa a minha vida, em tempo real. Se eu vou para o México, o jogador também vai. Meu marido (Kanye West) costuma jogar muito e foi ele que disse que eu poderia ter um game”, contou. De Masi afirmou que o conceito do jogo veio de Kim. O game levou dois anos para ser desenvolvido e foi lançado no início do segundo semestre em 2014.

Kim sente-se muito à vontade com a vida digital. Sua rotina começa às 6h, respondendo e-mails. Depois, toca sua rotina familiar e seus compromissos profissionais, como filmagens e mesmo o roteiro do game – ela disse que dedica boa atenção a essa parte porque não quer escritores criando coisas que não faria. “Esse é novo território para mim. É um trabalho de tempo integral”. No Instagram, sobe fotos. A rede é a que ela escolheu para ser o ambiente para falar de sua vida. “Não tenho time, nem estratégia.” É ela quem bota a mão na massa.

No Twitter, Kim faz comentários e publica muita coisa porque “as pessoas não têm o hábito” de pegar links no Instagram. “Gosto de estar no Twitter, principalmente quando viajo. Em viagens, não consigo dormir. Então, fico tuitando”. Em sua casa, ela tem o costume de responder mais e-mails antes de ir para a cama. Kim adora a possibilidade de interagir com fãs. Ela chegou a visitar uma garota em Nova Orleans, que é sua seguidora, porque era aniversário da fã.

Ao final do painel, Kim Kardashian, que lançou um livro intitulado Selfish, foi para o centro do palco para mais uma selfie. “Vai ser uma selfie de um grupo grande”, comentou a celebridade do mobile, calculando os movimentos. Não satisfeita com o primeiro instantâneo, ela pediu para repetir o clique para que mais pessoas pudessem aparecer ao fundo. 

Portas abertas

Terminado o painel, Kim foi aguardada pelos corredores do Palais. Havia uma profusão de câmeras esperando pela empresária. Ao chegar na sala de imprensa, os flashes se sucederam. Houve mais tumulto do que provocado por Sarah Jessica Parker, uma das convidadas do Cannes Lions do ano passado. 

Kim respondeu sobre mulher e liderança, um dos temas de Cannes (“Eu sou bem tratada. Mas o mundo da tecnologia é muito masculino. Espero que minha experiência com o game abra mais portas para as mulheres”), sobre escolha de marcas (“busco ser autêntica. Endosso o que realmente gosto”) e mídia social (“sinto o cheiro a milhas de distância se alguma celebridade faz promoção de um produto sem ser autêntica”).  

 

Fonte: cannes.meioemensagem

Notícias