Gastronomia

Tentações juninas

Atualizado em: 27/06/2017

unnamed

Saiba como aproveitar as delícias típicas do período sem problemas para a saúde

 

Junho é, sem dúvida, um dos meses mais festivos e alegres do ano, especialmente, no nordeste brasileiro, onde as festas em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro mexem com as pessoas e com a economia. É nesse período em que os arraiais se espalham, cheios de apresentações folclóricas com as expressões culturais de cada região e, claro, repletos de barracas de comidas típicas, as tentações juninas.

São diversos tipos de bolo e muitas comidas à base de milho, como canjica, milho e pamonha. Isso sem contar doces como pé-de-moleque, maçã do amor, brigadeiros. Mas é preciso ter muito cuidado, pois a maioria dos alimentos é altamente calórica.

A culinária é uma das marcas mais fortes de um povo e, por isso, passar o mês de junho sem experimentar nada seria, no mínimo, uma desfeita com os santos protagonistas da festa. Mas a nutricionista Marília Araújo, do Hapvida Saúde, garante que é possível aproveitar com moderação e fazer algumas escolhas mais saudáveis diante de tantas opções.

Aqui, a especialista listou algumas dicas preciosas para quem adora as festas juninas:

1) Forrar o estômago – antes de sair de casa, coma algo mais leve, pra não chegar com muita fome e acabar descontando nos alimentos vendidos nos arraiais. Sem tanta necessidade de comer, você vai poder se deliciar na medida certa e não ficar se sentindo cheio de mais, o que até compromete a noite de festa. Afinal, você talvez nem tenha disposição pra levantar e dançar as famosas quadrilhas juninas se ficar muito pesado.

2) Churrasquinho sem farofa – Quem não curte um churrasquinho no arraial, né? Mas a dica é evitar os acompanhamentos, pois o arroz e a farofa são mais calóricos. Se o espetinho for de carne branca, melhor ainda!

3) Preparo – Se você mesmo for preparar a comida, prefira utilizar leite desnatado e adoçante no lugar do leite integral e do açúcar para fazer alguns doces, como pamonhas, canjicas, bolos e mingaus. Assim, é possível reduzir as calorias pela metade.

4) Milho pode – Os pratos à base de milho são mais saudáveis porque o milho é rico em fibras, o que faz muito bem pro sistema gastrointestinal. Além disso, o milho contém vitaminas A e C, folato, tiamina, potássio e ferro, nutrientes que ajudam a regular várias funções do organismo. Só tenha cuidado pra não exagerar na manteiga. Margarina, que é pura gordura saturada, nem pensar.

5) Aparência – Se você for comprar a comida pronta e ela for industrializada, nunca deixe de ver a validade e se a embalagem está intacta. Mas se a comida for preparada na hora, observe bem a higiene do local, a aparência da comida, o ambiente em que ela é conservada e a limpeza de quem manuseia e serve o alimento. A vigilância sanitária costuma fazer inspeções dessa natureza para evitar contaminações alimentares, mas você deve ficar atento aos detalhes. Veja, por exemplo, se a pessoa que toca os alimentos usa touca, luvas e não pega em dinheiro. Isso é fundamental para se evitar transtornos.

6) Bebida típica – Evite os refrigerantes, prefira os sucos de frutas típicas que são muito consumidos no período, como suco de graviola, acerola, goiaba e cajá. Se a preferência for uma bebida alcoólica, opte por uma bebida quente, como vinho, que tem propriedades funcionais para o organismo e, se consumido com moderação, protege o coração das doenças vasculares, além de aumentar as taxas de HDL, considerado colesterol bom, no sangue.

Gastronomia