Especial MÃES

Mãe aos 40: tire 10 dúvidas sobre o assunto!

Atualizado em: 21/05/2014

mae

As brasileiras estão se tornando mães cada vez mais tarde! Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados no ano passado, as mulheres entre 30 e 34 anos que se tornaram mães em 2002 somavam 14,4%. Em 2012, esse número já tinha subido para 19%. No mesmo período, o número de mulheres que engravidou – entre 40 e 44 anos – passou de 53 mil para mais de 62 mil (um aumento de 17,6%).

Uma das razões para serem mães aos 40 anos é que elas, hoje, priorizaram a carreira profissional. Mas, antes de qualquer coisa, é preciso ter em mente que essa decisão é muito pessoal. Apesar disso, os números do IBGE reacendem o debate sobre os perigos da maternidade tardia. Há riscos para a mulher e para o bebê? As chances de aborto são maiores numa gravidez como essa? Com o passar do tempo, as possibilidades da mulher engravidar diminuem mesmo?

Para o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli Borges Filho, autor do livro “Gestação – Mitos e verdades sob o olhar do obstetra” (Ed. Segmento Farma), a mulher está geneticamente programada para perder a fertilidade com o passar dos anos até que chegue a “menopausa”. Os especialistas definem esta fase como “culminância da falência ovariana completa”, o que decreta o fim da idade reprodutiva.

“Os óvulos envelhecem com o passar do tempo. Por isso, quanto mais velha for a mulher, menores chances ela terá de engravidar. E se elas têm idade entre 36 e 40 anos têm aproximadamente 12% de chances de engravidar. Já as mulheres dos 41 aos 42 têm chance de 8%. Com idade entre 43 a 45 anos, as possibilidades caem para apenas 1%. Qualquer gestação depois dos 35 anos se torna mais arriscada e difícil”, explica Domingos.

Conforme o corpo vai ficando mais velho, completa Domingos, os riscos de ter uma gravidez tardia são maiores, principalmente em relação às síndromes como a de Down, por exemplo. “Mas se a mulher tiver condições obstétricas dentro da normalidade da gestação é possível engravidar após os 40”, assegura o médico.

Na avaliação da ginecologista e obstetra Bárbara Murayama, toda gravidez tardia tem riscos. “Também são maiores os riscos de desenvolver pré-eclâmpsia, diabetes gestacional e prematuridade”, afirma.

Entenda melhor os cuidados que se deve ter no caso de uma gravidez depois dos 40 anos!

mae1

Por que é mais complicado engravidar naturalmente depois dos 40?

Bárbara: ‘Isso tem a ver com a queda da taxa de fertilidade feminina ao longo da vida. As mulheres nascem com certo número de óvulos e eles são liberados mês a mês, após cada ciclo menstrual. Após os 35 anos e, principalmente depois dos 40, a quantidade e qualidade dos óvulos restantes são piores, se comparadas aos óvulos de uma mulher de 25 anos’.

Domingos: ‘Conforme a mulher vai envelhecendo, ela perde os óvulos ao longo da vida e a qualidade deles vai ficando mais baixa. Consequentemente, a taxa de fertilidade também cai’.

mae2

Gestante acima de 40 corre mais risco de gerar bebê com Down?

Domingos: ‘Antes dos 35 anos, o risco da mulher gerar um filho com síndrome de Down é de aproximadamente 1 em cada 600 nascimentos. Por volta dos 40 anos, a incidência é de 1 para cada 100 bebês que nascem. Por isso, gestantes acima dessa idade devem ser acompanhadas ainda mais de perto pelo obstetra’.

mae3

As chances de aborto são maiores numa gravidez tardia?

Bárbara: ‘Sim, são maiores. A idade ideal depende de uma série de fatores. Atualmente, é preciso levar em conta também a situação pessoal, profissional e todos os fatores de saúde. Não é uma decisão simples. E vale ressaltar que, com o avanço da medicina, é possível ajudar mulheres que postergam essa decisão’.

Domingos: ‘Sim, uma vez que a mulher vai perdendo a capacidade de manter a gestação. O ideal é engravidar antes dos 35 anos’.

mae4

É mais fácil engravidar depois dos 40 anos se a mulher já tem filhos?

Domingos: ‘Qualquer gestação depois dos 35 anos se torna mais arriscada e difícil. Nessa idade, a fertilidade diminui porque a mulher já não tem a mesma quantidade de óvulos que tinha na juventude. O organismo feminino nasce com todas as células que se diferenciarão em óvulos durante a vida. E elas podem sofrer mutações e recombinações genéticas ao longo do tempo quando passam por essa transformação. Uma pessoa mais velha tem mais chance de produzir óvulos defeituosos do que uma mais nova. É por esse motivo que algumas doenças genéticas, como a síndrome de Down, são mais recorrentes em bebês de mamães com mais de 40 anos. Uma mulher que já teve filhos passará por esse mesmo processo de envelhecimento’.

mae6

Quais as vantagens de se tornar mãe aos 40 anos?

Bárbara: ‘É vantajoso quando a escolha de ser mãe é consciente e planejada no momento que a mulher determinou para ela. E, normalmente, a mulher nessa idade tem mais tempo e paciência para se dedicar à criação do filho’.

Domingos: ‘Na verdade, pelo lado ginecológico, não é vantajoso. Mas pensando nas vantagens sociais é bacana, pois a mulher já está mais preparada para lidar com a demanda que um filho traz e também já possui certa maturidade financeira’.

mae7

Quais os cuidados que a mulher deve ter, caso ela queira se planejar para engravidar nesta idade?

Bárbara: ‘Ela deve se manter o mais saudável possível e fazer sempre os exames de rotina. Além disso, cuidar para ficar com o peso adequado, ter alimentação saudável, fazer atividade física regular e vacinação em dia’.

Domingos: ‘A dica é buscar o geneticista. Ele pode avaliar se os riscos existem e quais são. Assim, poderá indicar os exames necessários, além de atualizar o calendário vacinal. Mas isso deve começar antes da gestação’.

mae8

O pré-natal desta futura mãe de 40 anos é diferente?

Domingos: ‘Sim. Nesse caso, o pré-natal deve ser acompanhando um pouco mais de perto. Os intervalos de tempo entre uma consulta e outra também devem ser menores, pois se for detectada alguma alteração ou patologia nos exames, fica mais fácil tratar’.

mae9

É mais difícil recuperar o peso antigo no caso de uma gravidez aos 40?

Bárbara: ‘Sim. A cada ano é mais difícil fazer a manutenção do peso, independente da gestação. Então, sugiro que essas futuras mães fiquem atentas para iniciar a gravidez com o peso ideal. É importante ter ainda o acompanhamento com nutricionista durante todo o período. E isso tudo não só por conta do peso, mas pelo risco aumentado de diabetes e pressão alta’.

Domingos: ‘Sim. As mulheres de 40 que engravidam encontram mais dificuldade para emagrecer, pois a elasticidade da pele já não é mais a mesma e nesta fase há o aumento da flacidez’.

mae10

Qual o tipo de parto indicado para mulheres na faixa dos 40 anos?

Bárbara: ‘O parto normal, caso não haja contraindicações, é sempre o preferido’.

Domingos: ‘A idade da gestante não determina o tipo de parto. Portanto, as indicações obstétricas para ela são as mesmas que a de uma jovem, sem distinção’.

mae11

Algumas pesquisas mostram que hoje as mulheres engravidam cada vez mais tarde. Quais os motivos para esse comportamento ocorrer?

Bárbara: ‘A maior presença da mulher no mercado de trabalho, a preocupação com a carreira e a possibilidade de decidir seu próprio destino’.

Domingos: ‘A busca pela estabilidade financeira faz com que as mulheres só pensem em ter filhos quando se consideram bem colocadas profissionalmente, e mais amadurecidas para lidar com uma criança’.

Fonte:MSN

Especial MÃES