Empreendedorismo

Paraíba se destaca no Prêmio Brasil Criativo

Atualizado em: 03/11/2014

artesanato 2

Três empreendimentos paraibanos estão disputando a final do Prêmio Brasil Criativo do Ministério da Cultura – MinC: a Babel das Artes, na categoria Artesanato; o Circo Escola Piollin, em Circo; e o Museu do Patrimônio Vivo de João Pessoa, selecionado na categoria Patrimônio Imaterial.

A votação acontece na internet até o dia 10 de novembro por meio da rede social Facebook. Os três finalistas de cada categoria serão avaliados por uma curadoria composta por 30 especialistas, entre eles o britânico John Howkins, autoridade mundial em Economia Criativa.

Os vencedores serão anunciados em cerimônia realizada no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, capital, em 3 de dezembro de 2014, com transmissão ao vivo para todo o país. Para ajudar estas iniciativas a ganhar o Prêmio é só votar em www.premiobrasilcriativo.com.br observando as categorias indicadas. P
pode votar em quantas categorias quiser e vale votar uma vez por dia.

Artesanato: Babel das Artes

Circo: Circo Escola Piollin

Patrimônio Imaterial: Museu do Patrimônio Vivo de João Pessoa

 

Sobre o Prêmio Brasil Criativo

O Prêmio Brasil Criativo é a premiação oficial da Economia Criativa Brasileira. Visa contemplar empreendedores criativos e incentivá-los a impactarem positivamente a vida das pessoas. O prêmio abrange cinco campos de interesse da economia criativa: Expressões culturais (culturas populares, culturas indígenas, cultura afro-brasileira, artesanato, artes visuais e arte digital), criações Culturais e Funcionais (arquitetura, design, moda, games e gastronomia); Audiovisual/Livro Literatura e Leitura (cinema e vídeo, publicações em mídias digitais e publicações em mídias impressas); Patrimônios (patrimônio material, patrimônio imaterial, arquivos e museus) e Artes de espetáculo (dança, música, circo e teatro); além do prêmio de Reconhecimento por Trabalho Consagrado.

A Babel das Artes, selecionada na categoria Artesanato, tem como projeto transformar a loja virtual e o blog em portal colaborativo para mapear pólos de produção e iniciativas empreendedoras criando conexões do Artesanato com outros setores criativos como Moda e Design.

O objetivo é fortalecer a cadeia produtiva para a sustentabilidade dos artesãos e garantir a preservação dos saberes e fazeres, valorizando o Artesanato como expressão cultural. Para Francisco Milhorança, dono da loja 3 localizada no Mercado de Artesanato em Tambaú, estar entre os finalistas já é um motivo de comemoração. “Estamos felizes com a possibilidade de ganhar o prêmio. Só estar entre os selecionados já é pra nós, um grande reconhecimento”, diz.

artesanato 1Foto 1: Vestido de renda renascença produzido pela artesã Dorinha, de Campina Grande-PB (à direita da foto). Foto: Marvimm.

artesanato 2Foto 2: Babel das Artes reúne artesanato contemporâneo de várias regiões do país, com ênfase para a arte popular da Paraíba. Foto: Marvimm.

 

O Piollin Circo Escola ligado ao Centro Cultural Piollin concorre na categoria Circo. Trata-se de um projeto que compreende oficinas permanentes de circo integradas ao teatro, permacultura e leitura, estimulando a técnica aliada ao protagonismo cidadão através de conteúdos políticos, culturais e sociais. Tem como objetivo a reinserção à escola, fortalecer vínculos familiares, encaminhar crianças e jovens a programas socioassistenciais. “Fazer parte dos finalistas do prêmio já nos dá uma alegria imensa. Recompensa o trabalho realizado no Piollin, na cultura como instrumento eficaz no processo educativo”, diz Buda Lira, coordenador de projetos.

artesanato 3Circo Escola Piollin

Piollin Circo Escola: a iniciativa atende a 85 educandos, de 7 a 24 anos, residentes do bairro do Róger e da Grande João Pessoa PB.

O Museu do Patrimônio Vivo de João Pessoa é finalista na categoria Patrimônio Imaterial. Trata-se de um espaço de pesquisa, discussão, divulgação, formação e salvaguarda do patrimônio imaterial da capital paraibana. O trabalho se dá a partir da formação de jovens moradores de bairros tradicionais da cidade, os quais, na condição de agentes culturais comunitários, são os responsáveis pelos inventários dos bens identificados nas suas localidades. “Ganhar um prêmio nacional de economia criativa é importante porque seria o reconhecimento da importância desse trabalho de formação desses jovens enquanto política pública”, diz Marcela de Oliveira Muccillo, coordenadora do projeto.

SONY DSCAgentes Culturais em Pesquisa de Campo Entrevista com Dona Lenita Comunidade

Quilombola Gurugi Ipiranga Município do Conde. Foto: Moysés Siqueira.

 
Fonte: Sandra Vasconcelos-Assessoria de Comunicação e Marketing

 

Empreendedorismo