Educação

Tecnologias auxiliam na preparação para o Enem

Atualizado em: 21/03/2016

tecnologia-original

Da primeira edição, em 1998, quando foi criado apenas como instrumento de avaliação do aprendizado dos alunos concluintes do Ensino Médio, até os dias de hoje, o Enem – Exame Nacional do Ensino Médio –  adquiriu status de Vestibular, tornando-se a principal porta de entrada para instituições públicas e privadas de Ensino Superior. Atualmente, existem modelos de preparação e simulação de resultados que chegam a precisar em até 95% o desempenho do aluno.

É o caso do Enem Action, plataforma criada pelo programa High School Relationship, do grupo DeVry. O software, que é gratuito e de acesso livre, permite que o usuário vivencie o Enem em todos os aspectos: resolve questões similares ao exame, calcula o tempo gasto com a prova e avalia suas competências. Isso só é possível porque o sistema utiliza a mesma metodologia de avaliação aplicada pelo Ministério da Educação (MEC): a Teoria de Resposta ao Item (TRI).

O método é capaz de analisar as questões respondidas corretamente e dar um peso específico para cada acerto: as perguntas são divididas em grupos de dificuldades como fácil, médio e difícil. Por meio de teorias matemáticas, a TRI analisa a possibilidade de um chute. Exemplo disso é o número alto de acertos na categoria de questões difíceis combinada a um grande número de erros no grupo das fáceis. O fato é estatisticamente improvável e o sistema deduz o chute, assim, a média do aluno cai. No final, a nota não depende apenas do valor absoluto de acertos.

“Por conta disso, a garantia de precisão do resultado é de 94,6%. O aluno recebe um diagnóstico do seu desempenho e consegue ver sua colocação em nível nacional, baseado nos índices divulgados pelo MEC”, explica a professora doutora em Linguística, Helena Rosa Vieira Lima. Diretora da Faculdade Martha Falcão | Devry, instituição responsável pela Enem Action no Amazonas, ela explica ainda que a ferramenta é vantajosa também para as escolas, que, a partir da participação dos alunos, recebe informações sobre o posicionamento da instituição em relação às outras. “Os dados são sigilosos, então não há uma divulgação dos números das demais escolas e sim o desempenho da escola participante no cenário nacional, estadual e municipal”, afirmou.

Concorrência

O crescimento do número de inscritos no Enem a cada edição aumenta a concorrência entre os que prestam o exame. De 1998 até 2014, esse número ultrapassou o índice de 4000% de aumento, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC).

Em 2015, foram registradas 8.478.096 inscrições em todo País. No Amazonas foram 156.735, sendo a Região Norte a segunda maior em volume, com 31,50% do total de pré-inscritos, atrás somente do Nordeste (36,67%).

“Por conta disso, a preparação para o exame tem que começar cada vez mais cedo, até mesmo para que o desempenho do aluno possa ser avaliado ao mesmo tempo em que ele aprofunda o conhecimento”, afirmou a professora Helena Lima.

Não por acaso o Enem Action em 2016 terá 9 meses de duração. No ano passado, esse período foi de 5 meses. Serão 35 videoaulas, 13 a mais que em 2015, além de 64 aulas gravadas. O número de simulados também sobe de 3 para 7. O conteúdo é ministrado por meio da parceria com os portais Desenrolado e Evolucional.

A supervisora de projetos corporativos da Faculdade Martha Falcão | DeVry, Edlaíne Dutra, lembra que obter um bom resultado no Enem garante também oportunidades no programa Universidade Para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudos para instituições privadas, é pré-requisito para aprovação do Financiamento Estudantil (Fies), e serve como certificado de conclusão do Ensino Médio para jovens maiores de 18 anos. “O aluno pode se cadastrar a qualquer momento no Enem Action e não é necessário participar de todas as fases. Mas, o ideal é que faça todo o preparatório para acompanhar sua evolução e melhorar seu desempenho”, explica.

Passo a passo

– No período em que o simulado estiver disponível, o aluno deverá escolher dois dias para realização das questões de acordo com sua disponibilidade.

– Simulados de 60 questões: o aluno deverá separar 1h30 em cada um dos dias escolhidos e concluir 30 questões/dia.

– Simulado de 180 questões: também deverá ser feito em dois dias e o tempo de realização de exercícios é de 4h30 para 90 questões por dia.

– O aluno precisa fazer o simulado sem interrupção e deve reservar o tempo citado para realização do teste. Caso contrário, o simulado expira e ele perde a possibilidade de realizá-lo.

– Ao final de cada simulado, o aluno irá receber um boletim  com toda análise e detalhamento de seu desempenho.

– A plataforma pode ser acessada pelo endereço: http://highschool.devrybrasil.edu.br/enem-action/

Educação