Dinheiro e Finanças

Por que as startups são o melhor lugar para as mulheres no mundo dos negócios

Atualizado em: 30/01/2017

Mulheres nas startups

Quando a mídia fala sobre a presença das mulheres no mundo dos negócios, o foco costuma ser sempre negativo. Lemos o quanto ainda precisamos progredir em relação à paridade de gênero em postos de liderança e em relação a discriminação disseminada contra mulheres desenvolvedoras. Vivemos uma cultura que condiz mais com a indústria existente na década de 1950 do que com a indústria que devíamos estar construindo, afirma a colunista do site entrepreneur, Allison Gage. Há, de fato, muito progresso para ser feito. O problema é que esse foco singular tende a ignorar o fato de que muitas mulheres estão prosperando no mundo das startups, assim como as empresas que elas lideram.

Vários estudos têm mostrado que negócios que são liderados por mulheres são mais bem sucedidos e lucrativos do que aqueles que são geridos por homens. Finalmente, o mundo dos investimentos começou a notar isso.

Ao passo em que o mundo começa a acordar para o fato de que as startups e os negócios em geral têm um desempenho melhor quando são administrados por mulheres, as próprias mulheres estão percebendo que as startups são alguns dos melhores lugares para construir uma carreira. Na verdade, as mulheres estão fundando mais startups do que nunca. A porcentagem de startups fundada com pelos menos uma mulher fundadora pulou de 9% em 2009 para 18% em 2014.

No mundo dos negócios, o teto de vidro continua em grande parte intacto, mas as rachaduras mostram que há mais mulheres em startups do que qualquer outro lugar.

Estilos de gestão altamente estruturados e mentalidades antigas ainda são realidade em muitos setores, mas as startups, por natureza, têm a habilidade de escrever suas próprias regras, criar sua própria cultura e construir suas próprias estruturas de gestão.

Como resultado, a escada corporativa parece muito diferente na maioria das startups na comparação com as empresas tradicionais. Muitas vezes, há menos degraus a subir quando se está em um negócio que ainda está em desenvolvimento, o que significa que muitas das barreiras que as mulheres enfrentam à medida que vão chegando ao topo são removidas. Além disso, elas têm mais chances de expor suas qualidades de liderança mais cedo quando trabalham em startups.

A velocidade frenética e a natureza colaborativa do ambiente de uma startup significa que todas as mãos devem estar disponíveis, exercendo uma variada gama de papeis. Nesse formato de modelo de negócio, empreendedores inteligentes sabem que há pouco tempo a perder com preconceitos, permitindo que as mulheres possam se afirmar logo a partir do primeiro dia de trabalho.

A cultura das startups também tende a beneficiar as mulheres. Muitas startups demandam horas de trabalho durante seus primeiros anos,  mas quando evoluem e precisam competir com outras startups por grandes talentos, tendem a enfatizar os benefícios que giram em torno de uma vida equilibrada, como horas de trabalho flexíveis, licença paternidade e outras vantagens ligadas ao bem estar e que costumam ser bastante valorizadas pelas mulheres, independentemente de elas planejarem ter uma família ou não. Esse tipo de equilíbrio também é essencial para ajudar as startups crescerem. Um estilo de vida saudável contribui para a estimulação da criatividade e para a concretização de boas ideias.

Fonte: Brasil Econômico

 

 

Dinheiro e Finanças