Dinheiro e Finanças

O dólar subiu 1,5 por cento ante o real nesta quarta-feira para o maior nível em quase seis anos

Atualizado em: 01/10/2014

dolar

O dólar subiu 1,5 por cento ante o real nesta quarta-feira para o maior nível em quase seis anos.

A moeda norte-americana encerrou em 2,4848 reais na venda, renovando a máxima atingida pela última vez em dezembro de 2008.

“O mercado não está mais se baseando em fluxo, só em notícias sobre as eleições”, afirmou o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

O ritmo acelerado de alta do dólar tem preocupado os agentes econômicos. Segundo analistas, vem crescendo a demanda por proteção cambial, o que, por sua vez, pressiona ainda mais as cotações da moeda norte-americana.

“Quando o câmbio tem momentos de tensão sustentada, como está acontecendo agora, muita gente fica com medo de não ter se protegido o suficiente e vai ao mercado com isso na cabeça”, disse o gerente de derivativos de um banco internacional.

A cena eleitoral também se traduziu em maior incerteza sobre o comportamento do dólar frente ao real nos próximos meses. Pesquisa da Reuters publicada mais cedo mostrou que as projeções se espalharam muito mais, com o cenário mais pessimista projetando o dólar a 2,90 reais daqui a um ano, enquanto o mais otimista vê a moeda em a 2,27 reais.

Na véspera, o Banco Central reagiu à pressão no câmbio anunciando já para o primeiro pregão do mês o início da rolagem do lote de swaps cambiais que vencem em novembro, sinalizando a rolagem total destes contratos, que oferecem aos investidores proteção contra futuras altas da moeda norte-americana.

Mas, segundo analistas, esse movimento não é suficiente para apaziguar o nervosismo, além de já ser esperado pelo mercado.

“O BC tem dosado as rolagens de acordo com a volatilidade do mercado, então é razoável esperar que, num momento de nervosismo, a rolagem seja integral”, disse o operador de câmbio da corretora B&T Marcos Trabbold.

O BC vendeu nesta sessão a oferta total de até 8 mil swaps para rolagem dos contratos de novembro. Com isso, rolou cerca de 4,5 por cento do lote total, equivalente a 8,84 bilhões de dólares.

Pela manhã, o BC também deu continuidade às intervenções diárias no mercado de câmbio, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps, com volume correspondente a 197,0 milhões de dólares. Foram vendidos 500 contratos para 1º de junho e 3,5 mil para 1º de setembro de 2015.

Fonte:MSN

Dinheiro e Finanças