Dinheiro e Finanças

Veja como usar seu saldo do FGTS como garantia para pegar um empréstimo

Atualizado em: 10/04/2017

emprestimo-1400x800-0417

Agora que o saldo preso nas contas dos FGTS dos brasileiros foi liberado, já tem gente fazendo planos de como utilizar o dinheiro. Mas você sabia que é possível usar o FGTS como garantia para empréstimos? Leia a matéria na integra abaixo.

 

 

 

Veja como usar seu saldo do FGTS como garantia para pegar um empréstimo

Agora é possível usar o FGTS como garantia para pegar empréstimo consignado (aquele em que as parcelas são descontadas em folha de pagamento), segundo nota oficial do Ministério do Trabalho.

Como conseguir o empréstimo?

Para entrar com o pedido de empréstimo consignado oferecendo o FGTS como garantia é preciso comparecer a uma agência bancária conveniada com a empresa em que trabalhar portando os seguintes documentos:

  • Documento de identificação do trabalhador (RG ou CPF);
  • Carteira de trabalho;
  • Cartão do cidadão;
  • Inscrição PIS/PASEP/NIT ou inscrição de contribuinte individual junto ao INSS.

Cada caso exige uma documentação necessária que pode ser conferida pelo site da Caixa Econômica Federal.

Para acessar, basta colocar “Circular CAIXA”, no campo “Tipo”, e 2017, no campo “Número ou ano”. Diversos arquivos serão listados. O que apresenta os documentos por cada tipo de condição do trabalhador é o 757, mas o 756 e o 758 também possuem orientações quanto ao novo tipo de serviço.
 
Regras para conseguir o empréstimo
 
dinheiro-mao-poupanca-1216-1400x800

De acordo com a lei, aprovada desde 2016 e regulamentada na última terça-feira, (4), até 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pode ser usado para solicitar o empréstimo pelo trabalhador (para solicitar o empréstimo, é preciso ser um trabalhador com vínculo empregatício ativo e a empresa precisa ter um convênio com alguma instituição financeira).
Cada trabalhador pode pedir apenas um empréstimo por vez e, caso seja demitido, os valores podem ficar retidos no banco.

No caso de demissão sem justa causa, até 100% do valor da multa que foi paga pela empresa pode entrar como garantia também. E o que não for utilizado no pagamento do empréstimo, volta a ficar disponível para saque.

Segundo o governo, a medida permite que as pessoas tenham acesso a juros mais baixos (não podem passar de 3,5% ao mês, e chegam a ser 50% menores do que em outras operações de crédito) e um prazo para pagar de até 48 meses.

 

Fonte: Vix 

Dinheiro e Finanças