Dinheiro e Finanças

Como conquistar investidores para o seu negócio

Atualizado em: 25/04/2017

capa1

Como atrair fundos para o seu negócio? A reportagem da revista Pequenas Empresas, Grandes negócios, comenta o tema e trás alguns direcionamentos para franquias que pretendem conquistar esse mercado. Leia a matéria na integra, abaixo.

 

 

COMO CONQUISTAR INVESTIDORES PARA SEU NEGÓCIO
Reportagem de PEGN mostra as melhores estratégias para negociar com grandes empresas e fundos e descobrir quando esse tipo de parceria vale a pena

Até pouco tempo atrás, negociar com fundos de investimentos e grandes corporações era algo muito distante da realidade dos brasileiros. Essa percepção começou a mudar em meados dos anos 2000, quando os efeitos da bolha de internet se dissiparam e os investidores internacionais passaram a prestar mais atenção no Brasil. Entre os negócios investidos nessa fase estava o Buscapé – que, após sucessivas rodadas de investimento, foi adquirido por US$ 342 milhões pelo grupo sul-africano Naspers, em 2009. A transação colocou as startups nacionais na rota do capital de risco internacional.

A partir daí, começaram a pipocar notícias sobre aportes milionários em empresas com alto potencial de crescimento. Em 2015, no auge desse movimento, os fundos de venture capital injetaram R$ 1,1 bilhão no mercado brasileiro. Na ânsia de encontrar o “próximo Google ou Facebook”, os investidores financiaram a criação de centenas de startups. Mas acabaram gerando também uma percepção distorcida sobre o capital de risco. Celebrados pela mídia e pela comunidade de negócios, muitos empreendedores passaram a encarar os aportes como uma espécie de certificado de sucesso.

Para entender como funciona essa relação tão delicada, é preciso conhecer os mecanismos básicos que movem a indústria de capital de risco. Assim como em qualquer sociedade, a chegada de um investidor externo envolve a negociação de uma participação na empresa. No caso de um fundo de venture capital, a diferença é que os gestores precisam entregar resultados para os cotistas. As metas são extremamente agressivas: a expectativa de rentabilidade chega a ser dez vezes maior do que o valor do aporte.

Mais recentemente, ganharam força os programas de corporate venture: parcerias com grandes coporações que podem gerar bons resultados para os empreendedores. À primeira vista, esses programas equity-free podem parecer um passe-livre para receber capital e acessar a estrutura de grandes corporações. No entanto, como diz a antiga máxima de negócios, “não existe almoço grátis”. Seja na forma de aceleradoras, seja na forma de centros de pesquisa, programas de inovação aberta envolvem investimentos pesados por parte das corporações. Em troca, elas pedem diferentes tipos de retorno, que podem incluir a contratação compulsória de serviços, a liberação de patentes ou até mesmo contratos de exclusividade. É preciso analisar os prós e contras desse tipo de parceria atés de proceder com a assinatura do acordo.

Fonte: PEGN 

 

Dinheiro e Finanças