Dinheiro e Finanças

As moedas virtuais vão duelar com empresas de cartão de crédito

Atualizado em: 05/10/2017

Vitalik Buterin, criador da moeda virtual Etherium, participou do Disrupt nesta segunda-feira (Foto: Divulgação)

Os avanços da tecnologia nunca param, seja qual for o setor do mercado. A nova onda que promete mudar o setor financeiro é a das moedas virtuais. Confira:

As moedas virtuais vão duelar com empresas de cartão de crédito

O criador do Etherium, Vitalik Buterin, foi uma das estrelas do primeiro dia do TechCrunch Disrupt. Ele prevê pequenas empresas duelando com grandes bancos em breve.

Vitalik Buterin, criador da moeda virtual Etherium, explicou que a sua tecnologia deve duelar, em alguns anos, com as redes de cartão de crédito pelo mundo. O russo, que é radicado no Canadá, foi uma das estrelas do primeiro dia do TechCrunch Disrupt, evento que acontece em São Francisco, nos EUA, e tem cobertura exclusiva de Pequenas Empresas & Grandes Negócios.

Buterin foi ao evento para contar como sua tecnologia funciona e, principalmente, contar como empreendedores podem aproveitar o potencial da rede que controla o Etherium.

Mas ele chamou a atenção por colocar em xeque o futuro de empresas como a Visa, por exemplo. “A rede do Etherium, hoje, não é capaz de processar a quantidade de operações que uma empresa de cartão de crédito realiza. Mas em pouco tempo, será; e um monte de gente vai usar minha tecnologia e criar e serviços e produtos que podem duelar com a Visa”, diz o jovem de 23 anos.

<< Entenda o que é uma moeda virtual, como o Etherium e o Bitcoin, e como ela funciona >> 

O Etherium, assim como o Bitcoin, é uma moeda virtual que opera numa rede criptografada e cheia de computadores que certificam as operações.

Ambas as moedas podem ser usadas para fazer transações financeiras, como pagar um produto ou contratar um serviço – algumas empresas pelo mundo já as aceitam como pagamento – entenda, aqui, como funcionam as moedas virtuais.

Questionado se sua previsão do Etherium duelar com grandes empresas em pouco tempo não é audaciosa, Buterin afirmou que não. “As novas tecnologias estão mudando vários setores; o setor financeiro também vai passar por uma revolução. É questão de tempo.”

Fonte: Revista PEGN 

 

Dinheiro e Finanças