Dinheiro e Finanças

7 dicas para declarar o Imposto de Renda

Atualizado em: 15/04/2016

7 dicas para declarar o Imposto de Renda

7 dicas para declarar o Imposto de Renda. A Receita Federal estima que, até o dia 29 de abril, cerca de 28,5 milhões de brasileiros entreguem suas declarações de Imposto de Renda 2016 A multa para quem entrega a declaração fora do prazo é de 1% ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74, e o máximo é de 20% do imposto devido.

O Imposto de Renda é quase sempre sinônimo de dúvida para boa parte dos brasileiros:  Quem é obrigado a declarar? Tenho direito a restituição? Quais são os itens que podem ser dedutíveis? Para ajudar o contribuinte, especialistas em finanças respondem os questionamentos mais frequentes e dão dicas para declarar o Imposto de Renda.

1.    Quem deve declarar?

– Pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ $ 28.123,91 em    2015;

– Donos de bens acima de R$ 300 mil;

– Obteve lucro com a venda de bens ou vendeu uma casa e comprou outra em um período de 180 dias;

– Comprou ações na Bolsa de Valores;

– Recebeu mais de R$ 140.619,55 em atividade rural ou tem prejuízo rural a ser compensado no ano calendário de 2015 ou nos próximos anos.

2.    Quais rendimentos devem ser declarados?

 “Devemos informar todos os rendimentos, os tributáveis e os não tributáveis”, explica Amanda Aires, professora de Economia da DeVry Brasil e coordenadora da pós-graduação do grupo.

Entre os itens tributáveis estão salários, férias, 13º salário, assim como os rendimentos de serviços prestados, alugueis e pensão alimentícia. Dentre os rendimentos não tributáveis estão as bolsas de estudo, aviso prévio de indenizações trabalhistas, FGTS, valores recebidos de seguros e lucros e dividendos recebidos por empresários.

3.    Valores não declarados

Se a Receita Federal identificar a má fé do contribuinte em omitir tal receita, pode autuá-lo com multa que varia de 75% a 150% do valor do imposto devido.

É importante que o contribuinte se organize ao longo do ano. Claro que há modificações na legislação, mas, em essência, as informações solicitadas mudam pouco. Assim, é possível separar a documentação necessária e listar aqueles que serão recebidos por empregadores (informe de rendimentos) e bancos, por exemplo, com a proximidade da declaração do IR”, orienta a Coordenadora do curso de Contábeis da DeVry Brasil, Adriana Rangel.

4.    Erros mais comuns

Segundo Amanda, o principal e mais comum é a omissão de receita do titular da declaração e/ou de seus dependentes. Outro erro recorrente é o contribuinte achar que a retenção do Imposto de Renda pela fonte pagadora já servirá como declaração. Ainda é importante frisar que, caso o contribuinte não esteja obrigado a declarar, mas teve, em qualquer mês, imposto retido durante o ano de 2015, é importante declarar para restituir tal valor.

5.    Quem tem direito à restituição?

Contribuintes que pagaram a mais ao longo do ano. Na hora de fazer a declaração, o programa irá fazer as contas. Outro caso possível é o de pessoas que possuem muitas deduções, como dependentes e despesas médicas, por exemplo.

6.    O que pode ser dedutível do Imposto de Renda?

Embora as mensalidades escolares e consultas médicas sejam as deduções mais conhecidas do imposto de renda, há vários itens pouco comuns. Serviços de massagistas, enfermeiros, assistentes sociais e cirurgias plásticas, mesmo que tenham finalidade estética, podem ser abatidas na declaração.

7.    O que fazer em caso de erro na declaração

A alteração pode ser feita no programa da DIRPF do ano desejado. O contribuinte deve escolher a opção: Declaração retificadora, informar o número do recibo da declaração que foi enviada e fazer o ajuste necessário.

“Se a retificação for feita até o final do prazo de entrega (29 de abril), o declarante pode inclusive modificar o modelo da declaração: simples ou completa. Para saber qual o mais vantajoso para o contribuinte, basta verificar no próprio programa e fazer a escolha”, explica Amanda.

Gostou das dicas para declarar o Imposto de Renda? Fique ligado neste canal!

Dinheiro e Finanças