curiosidades

11 imagens para sentir a realidade de pessoas que moram em “caixas”

Atualizado em: 13/06/2017

pe-jpg

As vezes, estamos no conforto de nossos lares, deitados em nossas camas, sentados em nossos sofás confortáveis e não damos a mínima ao que se passa lá fora.

Nem tem nada de errado com isso. Temos o direito de descansar, relaxar e se distrair com tudo aquilo que conseguimos conquistar. Mas também não é por isso que devemos esquecer as outras pessoas e deixarmos de se importar com o que esta ao nosso redor.

Há pessoas que sobrevivem em condições sub-humanas e é nosso dever, como ser humano, ajudar como pudermos. Reflita um pouco.

 

 

11 imagens para sentir a realidade de pessoas que moram em “caixas”
O fotógrafo Benny Lam registrou como é viver nos apartamentos subdivididos de Hong Kong

Imagine cozinhar ao lado da privada do seu banheiro ou deitar para ler um livro e mal conseguir se mexer porque o espaço não permite. Essa é a realidade de muitas pessoas que vivem em uma das duas regiões administrativas especiais da República Popular da China.

Elas moram nos chamados apartamentos subdivididos, ou casas caixão, que espantam pelo tamanho minúsculo. A maioria dessas unidades são encontradas em edifícios antigos, e grande parte está no distrito mais pobre de Hong Kong, Sham Shui Po.
De acordo com os números levantados pelo South China Morning Post, havia aproximadamente 200 mil pessoas vivendo em cerca de 88.000 moradias desse tipo em 2015. E cerca de 57.100 dessas famílias – 65,2% do total – viviam em unidades de pouco mais de 6 metros quadrados a 13 metros quadrados.

Para deixar esses fatos ainda mais palpáveis e explicar da melhor maneira possível o que são os apartamentos subdivididos, o fotógrafo Benny Lam mostrou, nessas fotos publicadas pelo The Guardian, as condições de vida dessas comunidades pouco conhecidas:
1-jpg

 

4-jpg

 

5-jpg

 

7-jpg

 

8-jpg

 

9-jpg

 

10-jpg

 

11-jpg

 

 

pe-jpg

 

Já falamos aqui no PdH sobre os cidadãos de Hong Kong que não conseguem construir uma vida economicamente positiva, fruto sobretudo da disparada nos preços da habitação, e são obrigados a morar em gaiolas minúsculas de metal.
Os apartamentos caminham na mesma lógica, e compõem um quadro desumano e preocupante de Hong Kong, muitas vezes ofuscado por uma visão puramente glamurosa e rica em relação à região.

Fonte: Papo de Homem 

 

curiosidades