Cultura

Dia Nacional do Livro Infantil: leitura ajuda no desenvolvimento da criança e favorece as relações familiares

Atualizado em: 18/04/2016

leitura-infantil

Com o objetivo de incentivar a leitura e inserir as crianças no mundo dos livros, dia 18 de abril é celebrado o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi escolhida por ser o dia do nascimento de Monteiro Lobato. Deixado um pouco de lado com os avanços tecnológicos, o tempo dedicado aos livros e de extrema importância para as crianças, como explicam os especialistas.

A leitura é um processo que permite a imersão em um universo desconhecido, além de ampliar a imaginação e a criatividade. Segundo a coordenadora pedagógica da Prime’s Cool, Mara Nogueira, a leitura abre as portas para o conhecimento, por isso, é importante que as crianças sejam estimuladas. “Desde bebês a literatura infantil exerce influência na vida e no desenvolvimento da criança, tendo grande importância na contribuição social, emocional e cognitiva”, destaca.

De acordo com o psicólogo do Hapvida Saúde, André Assunção, o momento da leitura também é importante para fortalecer o relacionamento entre pais e filhos, já que estimula o diálogo. “Faz com que a criança se sinta mais madura e mais próxima dos pais. Além disso, pedir para que os filhos façam a leitura dos livros é uma forma de lhes atribuir valor, pois a criança se sentirá mais firme e segura para mostrar o que aprendeu”, esclarece.

Além de ser instrumento motivador e desafiador, a literatura é capaz de transformar o indivíduo em um sujeito ativo e criativo. “Através da leitura, a criança trabalha diversas áreas do seu desenvolvimento. Aprimora a capacidade de imaginação, estimula o pensar, o criar, o recriar, o desenhar, o pintar, e atinge áreas do desenvolvimento como o emocional, o cognitivo e raciocínio lógico”, explica Mara Nogueira, que diz ainda que, embora a escola tenha um importante papel nessa tarefa, a leitura é um hábito que começa em casa e deve ser prazeroso e não por obrigação.

Outra forma de aproximar ainda mais as crianças do mundo dos livros é incentivar a escrita. O CNA Ruy Carneiro, por exemplo, realiza oficinas literárias, em sala de aula, com alunos de 8 e 9 anos, onde o professor orienta as crianças a escreverem em inglês sobre um tema específico e a ilustrar com seus desenhos a própria história. Ao final do semestre, essas páginas dão vida a um lindo livro impresso em capa dura, que são lançados em uma noite de autógrafos, estimulando o aprendizado, a criatividade e o gosto pelos livros.

Literatura infantil pode ser ferramenta para enfrentar perdas

A morte é um tabu para a maioria das pessoas. Independentemente da idade, o assunto é encarado com pouca naturalidade e esta dificuldade é refletida na hora de abordar o tema com crianças.  No entanto, a tentativa de poupar os pequenos por achar que eles não estão prontos para assimilar as perdas podem resultar em problemas futuros.

“Evitar falar sobre a morte com crianças é um erro comum. Apesar da atitude ser repleta de boas intenções, isso pode acabar criando uma pessoa que, no futuro, terá dificuldade em lidar com perdas”, explica Mariana Simonetti, psicóloga especialista em luto do Morada da Paz.

A literatura pode ser uma facilitadora para explicar a perda de alguém para as crianças.  Livros que abordem o tema permitem que a criança tenham contato com o tema de uma forma lúdica e sensível, além de criar uma abertura para que o assunto seja discutido pela família. Assim, é possível criar um espaço seguro para que as crianças possam expressar suas dúvidas e que contribua para que elas aprendam a processar o luto de maneira saudável.

“Os livros infantis naturalizam o assunto da morte com as crianças. Como elas costumam se identificar com os personagens, histórias que apresentem perdas fazem com que elas percebam que a tristeza é algo natural”, analisa Mariana.

dia-do-livro-infantil

 

Cultura