Cotidiano

Pele oleosa e maquiagem podem provocar terçol, alerta especialista

Atualizado em: 29/06/2015

maquiagem

Clima seco, pele oleosa, além do uso continuo e incorreto de maquiagem podem provocar terçol. Apesar de comum durante o ano todo, a doença pode ter um aumento significativo no inverno, época em que os olhos ficam mais secos, o que favorece o entupimento e a inflamação na glândula.

De acordo com a oftalmologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Erika Silvino Rodrigues, o terçol é uma obstrução na glândula da pálpebra próxima aos cílios, que pode levar à inflamação e formação de um abscesso.

Segundo a especialista, a oleosidade da pele também pode provocar acúmulo de gordura e bloquear a glândula, promovendo uma elevação semelhante à uma espinha, próxima a região dos cílios.

— O uso de maquiagem ao redor dos olhos sem limpeza adequada, bem como produtos vencidos são outros fatores que podem levar a obstrução dos poros desencadeando o terçol.

Erika explica que a higiene frequente nas áreas do cílios e pálpebras podem ajudar a reduzir os riscos do surgimento do nódulo, contudo não existe uma forma de prevenção 100% efetiva.

— Durante o sono, produzimos uma quantidade menor da parte aquosa da lágrima isso aumenta a oleosidade local que pode favorecer o surgimento do terçol, por isso, é necessário realizar a limpeza dos olhos logo pela manhã, pois reduz a possibilidade de inflamação.

O terçol geralmente se manifesta como um pequeno ponto amarelado localizado na pálpebra podendo evoluir para um inchaço na região acompanhado de dor e nodulação, que não oferece nenhum risco de transmissão para outras pessoas ou de um olho para outro.

Na maioria dos casos, o nódulo drena sozinho sem que seja necessário tratamento. Porém, não é descartada a possibilidade do uso de uma medicação como colírio ou pomada de antibiótico com corticoide caso o terçol não suma em uma ou duas semanas, ou esteja associado a dor.

— Compressas mornas e massagem local ajudam na drenagem do nódulo, mas existem casos que podem evoluir sendo necessário cirurgia local.

Fonte: R7

Cotidiano