Cotidiano

Joanete: saiba como se livrar do problema nos pés

Atualizado em: 25/06/2015

joanetes

O joanete é uma deformidade que ocorre na estrutura dos ossos e na articulação entre o pé e o dedão e tem causa genética. “O osso do dedo começa a se desencaixar”, afirma o ortopedista Dr. Fabio dos Santos, especialista em pé do Hospital São Luiz, São Paulo.

Podendo aparecer em qualquer faixa etária, a deformação no pé tende a progredir com o tempo. “Há pessoas que podem ter o joanete aos 20 anos, como também ele pode aparecer aos 60”, afirma o especialista.

Além de genético, o joanete também pode ser causado pelo uso constante de calçados apertados. O ortopedista lembra que a deformidade é mais frequente em mulheres devido ao uso de sapatos de salto alto e bico fino. “O salto faz com que todo o peso do corpo fique sustentado inadequadamente no pé. Assim, o osso desvia para a região externa do membro”.

Ao contrário do que muita gente pensa, homens também podem apresentar o problema tanto pela genética como pelo uso de calçados apertados, como as chuteiras.

Geralmente, as pessoas com joanete costumam sentir muitas dores. A região fica saliente, avermelhada e o dedão do pé pressiona os dedos ao lado.

Aos primeiros sinais de joanetes, é importante procurar o médico para que a deformação não progrida. “Se não tratado, o joanete pode causar desequilíbrio físico porque prejudica a sustentação do pé. Com o tempo, os dedos começam a se encavalar”, explica o ortopedista.

Geralmente, para diagnosticar o grau do problema os médicos sugerem a realização de raio-X. Já a ressonância magnética pode trazer mais detalhes e, até mesmo, detectar outras patologias.

Segundo o especialista em pés, o tratamento inclui fisioterapia e uso de calçados que não apertem os dedos.

Outra dica do ortopedista que contribui na proteção da deformação é usar espuma para o pé, separador de dedos ou almofadas de feltro.

Em casos mais complicados, o tratamento é cirúrgico. O procedimento realinha o dedo e remove a saliência do pé. Apesar de ser eficaz, o especialista admite que é um pouco dolorido. “Como na cirurgia abrimos a região para colocar implantes, a pessoa não pode colocar o pé no chão durante um mês”.

O médico avisa que a cirurgia do joanete não garante resolução total do problema. “A deformação pode voltar futuramente”.

Diabéticos com joanete precisam redobrar os cuidados com os pés, já que a doença inibe a sensibilidade do membro. “Uma técnica bastante utilizada na Europa e nos Estados Unidos é a de ‘perfuração’ na região saliente do pé. Ele trata o joanete e evita cortes, já que o diabetes dificulta a cicatrização”, explica o especialista.

Por fim, o ortopedista ressalta que há formas de prevenir a deformidade: “mulheres devem usar salto com 2 ou 3 centímetros e optar por calçados com a ponta mais larga e arredondada”.

Fonte: R7

Cotidiano