Cotidiano

Estado emocional interfere na cirurgia plástica

Atualizado em: 18/05/2015

cirurgia_plastica_12

Ao contrário do que muitos pensam, não é apenas fisicamente que o corpo deve estar preparado para passar por uma cirurgia plástica. O estado psicológico pode interferir no resultado da cirurgia e acarretar alguns traumas, por isso é essencial o preparo emocional do paciente.

Segundo o cirurgião plástico Doutor Alexandre Mansur, muitas pessoas acreditam que fazendo a cirurgia terão seus problemas de relacionamento resolvidos, e não é bem assim que acontece. “Depende da cirurgia, mas, por exemplo, não é porque você fez uma lipoaspiração que sua relação com o marido irá mudar. Muitos pacientes vêm com esse desejo de que precisam fazer a plástica para resolver problemas pessoais e todo cuidado é pouco nesses casos”, revela. O profissional ainda acrescenta que se a pessoa não estiver preparada psicologicamente ela fica mais suscetível à dor, baixa imunidade e sono instável, o que atrapalha no processo de recuperação.

Os pacientes que pretendem ser operados precisam estar cientes dos riscos e de todos os procedimentos que envolvem uma cirurgia. O especialista mostra que cada tipo de cirurgia exige um tempo de recuperação, pois algumas partes do corpo ficam mais inchadas, hematomas podem aparecer, cicatrizes, e que cada organismo reage de uma forma.

Para evitar surpresas o ideal é planejar a cirurgia com calma e tranquilidade, conversar todos os prós e contras do procedimento e tirar qualquer dúvida com o médico. “É preciso ter transparência entre paciente e cirurgião, já que será uma mudança no corpo da pessoa. Quando tudo é bem conversado e alinhado não há motivos para ter problemas no futuro e muito menos surpresas”, informa. Para o doutor Mansur, o importante ao realizar uma cirurgia plástica é estar bem consigo mesmo, seguro e com a autoestima elevada, assim o resultado final supera as expectativas do paciente, deixando-o feliz e realizado.

 

Fonte: Da redação com Bem Paraná

Cotidiano