Cotidiano

5 coisas que impulsionaram a independência feminina

Atualizado em: 21/04/2015

independencia

Entrada no mercado de trabalho e a modernidade dos eletrodomésticos colaboraram com a independência delas. Concordam?

 

Mercado de trabalho, eletrodomésticos, pílula. Saiba o que influenciou as mulheres a fazer suas próprias escolhas:

TRABALHO: A industrialização proporcionou a inclusão das mulheres no mercado de trabalho, movimento crescente no Brasil a partir das últimas décadas do século 20. Se antes elas estavam somente nas fábricas e escritórios e em funções mecânicas, hoje comandam equipes e empresas. Donas do próprio sustento, as mulheres levantaram suas bandeiras de independência em vários outros aspectos das suas vidas, entre eles a opção ou não pelo casamento.

ELETRODOMÉSTICOS: Esfregar e torcer roupas, bater bolo à mão, molhar a barriga na pia de louça ou esquentá-la no fogão. As máquinas chegaram para resolver as tarefas domésticas que tomavam um tempão de nossas vidas. Os primeiros eletrodomésticos foram desenvolvidos no século 19, impulsionados pela ampliação das redes de energia elétrica na Europa e nos EUA. No Brasil, surgiram no início do século 20, importados, e só mais tarde foram desenvolvidos no país.

PÍLULA ANTICONCEPCIONAL: O contraceptivo surgiu na década de 50 e trouxe independência sexual à mulher e, consequentemente, a possibilidade de decidir sobre a maternidade. Ter ou não ter filhos tornou-se uma opção. Um passo e tanto para quem não tinha domínio sobre a própria fertilidade.

BELEZA REAL: Cada dia mais o movimento pela real beleza ganha adeptas. O corpo esquálido divide a preferência com o corpão “violão”. Os quilinhos a mais têm preocupado cada vez menos a elas, que cuidam de si, mas fogem de estereótipos. Quanto mais real, melhor. É a independência dos padrões!

SOLTEIRA E FELIZ: A independência financeira é um fator determinante para a mudança de comportamento afetivo das mulheres. Pagar as próprias contas, ter a liberdade de fazer o que quiser com o próprio dinheiro, planejar a vida de acordo com suas vontades, ter a opção de não casar é uma realidade fascinante para quem, até pouco tempo atrás, era dependente dos pais ou do marido.

Fonte: Da Redação com Tempo de Mulher

Cotidiano