Cristiani Meller

Cristiani Meller

Cristiani Meller, Analista Financeira e Gerente Comercial do Portal Mulher de Fato.

“Quem quer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa”

Nos inícios de ano, é comum as pessoas fazerem uma lista de coisas que pensam em realizar até que o próximo dezembro chegue. E isso é muito válido! É bacana a gente se dar este tempo de refletir em novos caminhos para nossa vida, que nos tragam mais bem-estar e realizações. Só que nem sempre (para não dizer “na maioria das vezes”) o objetivo sai do papel, acaba ficando só no mundo das ideias e lá vai, no próximo ano, entrar para a lista de novo! E por que esses desejos não são realizados? Por que as pessoas não conseguem efetivamente colocar em prática? Bom, responder a essas perguntas envolve um repertório imenso de possíveis respostas. Algumas, até imaginamos, como a falta de tempo, a falta de dinheiro, a falta de disposição, a falta de colaboração dos outros, e uma infinidade de outras coisas. Mas você sabe ou já ouviu falar que, quando alguém quer REALMENTE alguma coisa, esta pessoa encontra motivação e arranja formas de ultrapassar todos os obstáculos que aparecem no caminho, não sabe? É como diz o ditado: “quem quer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa”. A grande questão é: o que motiva essas pessoas a se entregarem a seu propósito e fazerem o que deve ser feito para atingir seu objetivo? O assunto é extenso, tão extenso que renderia um livro, passando por diversos aspectos, desde estratégias de planejamento até os aspectos emocionais, como autoconfiança e autoestima. Porém, existe sim um ingrediente principal nisso tudo, aliás, um não, dois principais, que são o estopim para acionar todo o resto. São eles a tomada de consciência do grau de importância que o objetivo tem na sua vida e o ato de DECIDIR que vai realiza-lo, independentemente das circunstâncias ou obstáculos. Pare agora e pense em um de seus objetivos para este ano. Pergunte a si mesma por que ele é importante para você, o que você terá a ganhar com ele. E se não realizar, o que estará perdendo. Também pode ser o caso de questionar o quanto você realizar isso impactará positivamente outras pessoas. E, acima de tudo, se essa meta está alinhada com seus valores de vida. Por exemplo, se você tem como um de seus valores a tranquilidade e tem como meta mudar de casa, você não pode se mudar para um lugar que fique em uma barulhenta e movimentada avenida, pois estará batendo de frente com o que você tem como premissa maior na sua vida; caso isso aconteça, logo você estará estressada e querendo se mudar de novo. Essas avaliações, da importância do objetivo e do alinhamento dele com seus valores, vão trazer a certeza, a convicção, de que você está ou não no caminho certo. Caso o nível de relevância do objetivo seja pequeno ou ele não esteja em concordância com seus valores, não vale à pena dispender energia com ele, certo? Ele pode ser, então, deixado para lá ou adaptado. Mas caso você constate que sua realização é muito importante e ele está perfeitamente alinhado com seus valores, você vai dizer “sim, eu quero isso na minha vida”, e terá mais certeza e segurança de seguir adiante! Então, você será levada a um grande passo: a decisão! Se o objetivo é mesmo importante, decida agora a fazer todo o possível para realiza-lo, dar o seu melhor, e decida não desistir diante dos desafios! Os desafios estarão lá para que você os encare e saia mais forte e mais determinada ainda dali! Ao se decidir efetivamente, coisas incríveis começam a acontecer no caminho, como se a vida estivesse conspirando a seu favor. E pode apostar, ela estará!

Mais postagens de Cristiani Meller