Cristiani Meller

Cristiani Meller

Cristiani Meller, Analista Financeira e Gerente Comercial do Portal Mulher de Fato.

PERMISSÃO PARA RELAXAR

shiatsu

Um dia desses, estava eu no trabalho, morrendo de dor nas costas, quando me deparo com a oportunidade de fazer shiatsu laboral; aquele em que a gente fica em uma cadeira adaptada, com apoio para a cabeça, braços e pernas. Decidi me presentear com 20 minutos de cuidados (por mim poderia ser mais, mas é o tempo que o profissional disponibiliza). Durante a sessão, passei por momentos de desconforto, quando o cara tocava pontos muito doloridos, e momentos de relaxamento. Até aí, tudo bem, normal. Mas, no meio do processo, peguei minha mente vagueando por outras situações e lugares fora dali… Ou seja, momentos em que eu não estava presente no aqui e agora, não estava com a atenção plena no que eu mesma tinha escolhido vivenciar. Que flagra! E sabe do que eu me dei conta? Que quando algo doía, quando o desconforto surgia, aí sim minha mente se voltava completamente para o presente, para a sala, para o meu corpo na cadeira, para o caminho que as mãos do terapeuta estavam fazendo e implorando mentalmente para que ele aliviasse e voltasse aos movimentos mais brandos. Quando isso finalmente acontecia, vinha a sensação boa, só que, em seguida, eu dispersava a atenção de novo. Lembrava das coisas que tinha que colocar na minha mala para viajar à noite, do que ainda faltava fazer no trabalho, de alguma coisa que alguém disse, dentre mil outros pensamentos que iam e vinham.
Felizmente, no meio disso tudo, caí em mim! “Ei, Dona Niriane, que tá fazendo? Para de devanear feito doida e presta atenção! Relaxa! Curte o momento! Faz valer teu tempo aqui! Ou vai ficar botando fora minutos e também dinheiro? Acho que não foi esse o propósito inicial de ter me presenteado com um revigorante shiatsu!”. Um autopuxão de orelha! Hehehe! A partir disso, passei a prestar total atenção ao meu corpo, aos estímulos recebidos e percebi que consegui relaxar muito mais! E, ao relaxar mais, os apertões já não doíam e uma imensa sensação de bem-estar tomou conta de mim. Meu corpo, antes enrijecido, voltou à normalidade e eu saí de lá me sentindo leve e solta! E claro, como gosto muito de analisar e filosofar sobre as coisas, logo já percebi um aprendizado com a situação! Geralmente, é um padrão mental darmos total atenção ao que está ruim, ao que nos incomoda; nos apegamos ao que faz mal e a mente não consegue se desvincular daquilo… Já, quando se vivencia coisas agradáveis, nem sempre conseguimos ficar presentes experenciando o que está acontecendo. Como está tudo indo bem, a mente já sai saracoteando por aí, procurando outras coisas com as quais se distrair ou se preocupar; e perdemos, sem querer, grandes bons momentos da nossa vida…
Alguém aí se identifica? Pois é, ainda bem que podemos acionar nosso observador interno a qualquer momento e fazer a gente “voltar para o corpo” a tempo de conseguir aproveitar alguma coisa boa com mais profundidade e entrega. Esse é um grande e poderoso exercício e que, com a prática consciente, vai ficando cada vez mais natural. Se eu não tivesse ligado meu observador interno, se não tivesse acionado esta consciência, não teria “voltado para o corpo”, para o aqui e agora, e teria desperdiçado aquele maravilhoso momento de relaxamento e, com certeza, não teria liberado tanta tensão como liberei. Me dei conta que de nada adianta ter algo externo tentando aliviar as tensões se internamente continua uma loucura! O relaxamento, esta permissão para o alívio, vem de dentro, da total percepção no momento, da entrega ao aqui e agora. E isso vale para qualquer coisa na vida, qualquer sentimento, emoção. Quantas alegrias não vividas plenamente, quanta paz no coração não valorizada, quanta beleza não vista, quanto amor esfumaçado por não estarmos ali de corpo e alma no presente, deixando nossa mente tomar conta e viajar para longe dali… Já parou para pensar?
Desejo, a você e a mim mesma, que, a partir de agora, prestemos mais atenção ao que acontece de bom conosco e ao redor, dando limites aos pensamentos e permitindo curtir cada momento. Agora, volte e leia este texto novamente, porque eu sei que sua mente vagou mil vezes para longe dele enquanto fazia a primeira leitura e se deparava com as reflexões! Leia apenas! Garanto que insights muito mais profundos surgirão depois! Grande abraço de luz!

Niriane Neumann

Mais postagens de Cristiani Meller