Linda Susan

Linda Susan

Graduada em Nutrição e mestrado em Ciências dos Alimentos pela Universidade Federal da Paraíba. É consultora do PAS/Mesa. Atualmente é professora da Escola de Nutrição da UFBA.

O meu amado pai

linda_susan234x1321

Amo no meu amado o meu pai! As mãos dele que me afagavam quando criança são as mãos do meu amado, que percorreram e percorrerão meus anos de felicidade; a sua pele suada do labor é a pele suada do meu amado no amor; o abraço fraterno e seguro do meu pai é o abraço e o braço do meu amado me conduzindo nesta trilha da vida; a sua filosofia “difícil não é ser, é permanecer sendo”, demonstração de toda a sua angústia e amor pela vida, é a realidade do amor do meu amado por mim traduzido no seu amor pela família, o meu pai! No meu amado, declaro o meu amor pelo meu PAI!

Há anos que não pensava tão forte e de forma reflexiva no meu pai… o dia dos pais comemoramos eu, Onaldo e Maximus uma semana antes…rs rs rs, Nattascha, uma das filhas, disse que “abaianamos” rs rs rs, que comemoramos a #paicareta!!!!! Ver as lágrimas nos olhos do meu amado emocionado com as palavras que expressavam o amor de Nattascha e Mariah me emocionou e de pronto traduzi o meu amor e a minha saudade pelo MEU PAI, no carinho quase materno pelo meu amado e tive a certeza que amo meu pai sempre no meu amado e reconheço seu amor por mim em cada gesto e ação do meu amado.

Meu pai, o nome dele é Manoel Brilhante de Souza, Neco como os amigos o chamavam. Era um homem terno, apaixonado por cinema e responsável por minha paixão por cinema e pelo meu nome cinematográfico também, Linda Susan. Era dado a filosofar movido por uma boa cachaça. Gostava de caçar, tocava cavaquinho e tinha olhos que comunicavam sem palavras. Não gostava de levantar a voz , mas era enérgico quando preciso; sorria e tinha mãos grandes e seguras que me indicavam o caminho a seguir; seu silêncio era cortante como uma rajada de vento; sua presença era como uma brisa suave; era meu cúmplice para que eu adquirisse auto estima; tenho muito dele, não só pelo DNA biológico, mas o DNA da vida, dos ensinamentos, do gosto pessoal, do amor pela carne de sol, pelo silêncio cortante.

Adorava histórias em quadrinhos as quais compartilhávamos junto com os livros de bolso e as castanhas de caju, deliciosasssss. Minhas memórias estão repletas da sua vida, minha vida é repleta dele! Eu “devia tê-lo amado mais”, mas amei o suficiente para continuar amando-o no meu amado. Ele se foi quase que nos meus braços, nos seus últimos momentos, estava aninhado nos meus braços como um filho no seio da mãe, seus olhos fitavam os meus serenos de dor (um câncer corroia sua vida) , tão serenos que acalmavam a minha própria dor. PAI, paixão pela vida, amor sempre, infinito e incondicional!

Neste texto presto homenagem a todos os pais pelo seu dia e a todas as mulheres do mundo.

Mais postagens de Linda Susan