Ciência e Tecnologia

Snapchat: por que seus filhos não saem deste aplicativo?

Atualizado em: 23/06/2015

adolescentes-selfie_0

Se você tem filho adolescente, provavelmente, já deve ter ouvido falar sobre Snapchat – o aplicativo em que as pessoas enviam aos amigos fotos e vídeos que são deletadas automaticamente após alguns segundos.

A ferramenta é especialmente popular entre os jovens. Segundo um levantamento do site Business Insider, mais de 70% dos usuários têm menos de 25 anos. A explicação para esse  fenômeno é simples: eles querem se comunicar longe das vistas de pais, parentes e professores, que provavelmente estão entre o 1,1 bilhão de usuários do Facebook,  a maior rede social do mundo.

Para explicar a lógica de funcionamento do aplicativo – que os adultos, definitivamente, não entendem –, o fundador e CEO do Snapchat, Evan Spiegel, de 25 anos, publicou um vídeo no Youtube de 4 minutos. Usando apenas a sua voz e um bloco de notas, logo no início, ele já explica qual é a razão de os adolescentes tirarem tantas fotos, o tempo todo, com a câmera dos seus telefones: “seus filhos contam histórias a partir de imagens”.

O discurso do CEO explica, ainda, que os jovens usam a ferramenta para expressar identidade, mostrar gostos e contar o que estão vivendo. “Antigamente, fotos eram feitas para guardar memórias. Agora, são usadas para falar e é por isso que as pessoas estão tirando e enviando milhares de fotos no Snapchat todos os dias”, afirma. O perfil da plataforma também diz algumas coisas. Passa uma mensagem de urgência, imediatismo e agilidade. Tudo o que a juventude gosta!

Spiegel explicou que o aplicativo é dividido em três telas: snap (no qual a pessoa precisa tirar uma foto para começar a conversa); o chat (onde estão todas as pessoas para quem você fica enviando e de quem você fica recebendo fotos); e o assistir (tela para acompanhar as histórias das pessoas). “As histórias são interessantes porque são basicamente uma coleção de fotos. Quando tira um ‘snap’, você pode escolher entre enviar para amigos ou pode adicioná-lo a uma história, que mantém todos os seus ‘snaps’ do dia em ordem cronológica”, explica o jovem empresário.

Atualmente, a rede social é avaliada em R$ 45,8 bilhões quatro anos após fundação.

Fonte: Da Redação com MdeMulher

Ciência e Tecnologia