Cidadania

Dia Mundial da Água: 700 milhões de pessoas não têm acesso a água limpa

Atualizado em: 22/03/2016

Dia mundial da água

Durante a conferência mundial Rio-92, a Organização das Nações Unidas (ONU) sugeriu a criação do Dia Mundial da Água, comemorado dia 22 de março. Porém, após mais de vinte anos, mais de 700 milhões de pessoas não têm acesso a água limpa e própria para consumo, de acordo com dados da Unesco, e cerca de dois bilhões de pessoas vivem em situação que exige melhor saneamento, segundo relatório sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos das Nações Unidas.

A responsabilidade por esses problemas não é só da população, que representa apenas 10% do consumo de água no país, mas também das empresas. Consumindo cerca de 70% da água do país, um dos principais responsáveis por problemas ambientais é o setor agrícola, segundo dados do Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, e da construção civil, que lança no ambiente uma quantidade excessiva de dióxido de carbono (CO2) e resíduos.

Porém, pequenas mudanças no processo construtivo e de finalização da obra trazem não apenas melhorias para o ambiente, mas também vantagens financeiras para as construtoras e investidores. De acordo com João Pina, diretor da JCP Construções e Incorporações S/A, é preciso atentar para as necessidades do ambiente. “A sustentabilidade já faz parte do nosso cotidiano, e as construtoras para obterem êxito terão, cada vez mais, que adotar estas soluções, ou seja, é uma questão de sobrevivência e qualidade”, explica.

Segundo Selma Alves, professora de Tratamento de Água e Efluentes do grupo DeVry Brasil, a consciência da importância da economia mudou a rotina nos canteiros de obra, que hoje se preocupam em coletar água da chuva, restringir o uso da mangueira e reaproveitar a água para lavar ferramentas. “Existe uma preocupação com a questão da sustentabilidade. Além disso, as construtoras buscam reduzir o desperdício, porque isso implica em redução de custo da construção”, analisa.

E existem as empresas que envolvem toda sua cadeia produtiva. O McDonald’s, por exemplo, realiza a 5ª edição do Workshop Água, projeto da rede para conscientização e sensibilização de seus fornecedores sobre a crise hídrica, que reúne, em média, 100 pessoas, dentre funcionários da marca, fornecedores e parceiros como WWF, Sabesp, CDP, TNC, Fundação Espaço ECO e Instituto Akatu. “Nós temos um intenso trabalho de conscientização interna, mas percebemos que nossos fornecedores também precisavam estar atentos. Foi com esse objetivo que criamos o Workshop Água, para enxergar o cenário com mais clareza, trocar ideias, compartilhar experiências e discutir soluções”, afirma Leonardo Lima, Diretor de Sustentabilidade da rede.

E quando assunto é conscientização, um dos melhores caminhos é a educação, e desde cedo. A escola infantil e de ensino fundamental Prime’s Cool insere em seus projetos anuais o tema natureza e sociedade, onde é trabalhada a questão da água. Nele são abordados a importância desse elemento para a higiene, alimentação e desenvolvimento da sociedade; qual o impacto de se viver com a falta d’água, entre outros. “Nós buscamos explicar como a água é importante no dia a dia e como devemos preservá-la, mas tudo de forma adaptada para a idade das crianças. Esse conceito de consumo consciente é criado com brincadeiras, textos e atividades lúdicas”, destaca Mara Nogueira, coordenadora pedagógica da escola.

Portanto, no Dia Mundial da Água fica o alerta: preservar e consumir conscientemente para que gerações futuras possam desfrutar este bem precioso.

Assessoria

Cidadania