Bem Estar

O que acontece no seu corpo quando você toma sorvete

Atualizado em: 09/02/2014

mulher-tomando-sorvete-60631

Antes de provar

– Centros de prazer e recompensa do seu cérebro mandam sinais para que você realmente anseie pelo sorvete – mesmo que não esteja com fome.

– O hipocampo, sede da memória, começa a lembrar de como o gosto do sorvete a deixou feliz na última vez que provou.

Depois da primeira lambida

– Gordura e açúcar cobrem sua língua, acendem o seu paladar e alertam o cérebro: “Eu amo isso!” Sua cuca agita a dopamina e outros neurotransmissores.

– Seu pâncreas, entretanto, está produzindo insulina, que movimenta o açúcar na corrente sanguínea e em seus tecidos. (A ingestão excessiva de açúcar pode levar ao ganho de peso e diabetes.)

– Para evitar exageros, seu estômago passa a liberar hormônios que controlam o apetite, como a grelina e o peptídeo YY. Dê-lhes tempo: em um estudo, as pessoas que passaram mais tempo se deliciando com sorvete se sentiram mais satisfeitas do que as que comeram a mesma quantidade em minutos.
Depois de alguns minutos

– Você sente frio e o seu cérebro tenta se aquecer. De repente, há um aumento do fluxo sanguíneo através da artéria principal da sua cabeça – um efeito também conhecido como “congelamento do cérebro”. (Segurar a língua contra o céu da boca pode ajudar.)
Depois de uma hora

– Proteínas, gorduras e carboidratos estão abastecendo rapidamente suas reservas de energia – isso se você estava com elas em baixa, no caso de ter se exercitado, por exemplo. Se as reservas não estiverem em baixa, suas células de gordura absorvem as 300 calorias extras.
No dia seguinte e no próximo

– A pesquisa mostrou que chupar sorvete quatro ou cinco vezes por semana pode acalmar, levando as pessoas a comer mais para conseguir a mesma sensação. Conselho de WH: malhar também acalma e, além de não engordar, emagrece. Por isso, intercale os dias: um de sorvete e outro de academia. Seu corpo – e seu humor – agradece.

– Antes de se servir, olhe para o tamanho do pote. Um estudo descobriu que as pessoas colocaram 31% a mais de sorvete quando usaram um copo maior e comeram 15% mais quando a concha de servir também era grande.

Fonte: MdeMulher

Bem Estar