Bem Estar

A Cabana: 3 lições de vida que o filme traz e que irão renovar suas forças

Atualizado em: 26/04/2017

a-cabana-paris-filmes-0417-1400x800

Quem já leu o livro, sabe que a história é surpreendente e fica verdadeiramente apaixonado. Mas agora a trama está nas telonas e trás para ao publico uma reflexão sobre a Fé, a espiritualidade e como devemos lidar com situações que nos deixam altamente incomodados.

A Cabana, o filme, promete surpreender com uma bela história de superação. Mas o que podemos levar disso. Leia a matéria na integra abaixo.

 

 

 

A Cabana: 3 lições de vida que o filme traz e que irão renovar suas forças

Baseado no best-seller de William P. Young, o filme “A Cabana”, que já está em cartaz em todo Brasil, promete entregar uma comovente história de fé e superação. O longa gira em torno de Mackenzie Phillips, interpretado por Sam Worthington, que, durante uma viagem em família, se depara com o desaparecimento de Missy, sua filha caçula e, posteriormente, descobre que ela foi raptada e brutalmente assassinada em uma cabana.

Sem superar a tragédia, Mack passa anos imerso em uma tristeza absoluta até que recebe uma carta misteriosa, assinada por “Papai”, apelido carinhoso de sua esposa para Deus, o convidando a visitar o local do assassinato.

Intrigado, ele decide ir até a cabana e, ao chegar lá, percebe que está frente a frente com a trindade divina: Deus, uma mulher negra, interpretada por Octavia Spencer, Jesus, um homem com descendência árabe e o Espírito Santo, vivido por uma bela moça de traços orientais.

A partir desse encontro, Mackenzie começa a descobrir mais sobre si mesmo e sua fé, além de aprender grandes lições de vida.

1. Ter fé em algo pode te ajudar a superar situações ruins
Ao perder a filha caçula e achar que o Deus em que ele acredita não fez nada para evitar que ela morresse, Mackenzie abandona sua fé e se entrega à tristeza. Durante o encontro com a trindade divina, Mack confronta Deus por permitir tamanho sofrimento e acaba se deparando com uma resposta reveladora de “Papai”: “Quando tudo o que conseguimos ver é só a nossa dor, acabamos deixando de ver Deus”.

A partir disso, ele começa a entender que, para cada situação que vivemos, existe um propósito muito maior do que imaginamos. Independentemente do sofrimento, que é inevitável, pois não existe promessa de uma vida sem dor, depositar nossa fé em algo que acreditamos ser maior que nossos problemas nos ajuda a superar situações e renovar nossas forças.

 
2. Aprender a perdoar faz bem à alma
Amargurado, Mack se fecha emocionalmente e acaba se distanciando das pessoas que ama. No filme, em uma conversa com o Espírito Santo, ele demonstra toda sua ira ao dizer que deseja que o assassino de sua filha sofra, assim como ele sofreu, até que, com a ajuda de Deus, toma coragem para perdoar o agressor de Missy e se livrar desse sentimento que o consumia.

Diante de situações de extremo sofrimento, é comum pensarmos que é impossível perdoar, mas, assim como Mack, devemos entender que, por mais difícil que seja, aceitar as situações que não conseguimos mudar e perdoar é sempre o melhor caminho para libertar a alma e conseguir seguir em frente.

 
3. Compartilhar o sofrimento pode ser confortante
Diferentemente de sua esposa Nan, interpretada por Radha Mitchell, que se apoiou na fé, na família e enfrentou corajosamente o sofrimento pela perda da filha, Mack escolheu mascarar a dor e se isolar. Beirando a depressão, o personagem recusou toda oferta de ajuda e aproximação dos amigos e da esposa e, consequentemente, criou um abismo enorme entre ele e os filhos, tudo isso, até receber o bilhete endereçado por Deus.

Ao se encontrar com a trindade divina, Mack estreitou relações com o Pai, o Filho e o Espírito Santo e pode ver como é confortante poder contar com alguém, tanto para compartilhar alegrias, como para superar os momentos difíceis.

Fonte: Bolsa de Mulher 

Bem Estar