Beleza e Moda

Tudo o que você precisa saber sobre como ficar ruiva

Atualizado em: 25/05/2015

thais-tejeda

Quando você acerta o tom, ser ruiva é incrível e, dificilmente, você vai querer abandonar a cor. “Ela passa a fazer parte da identidade daquela pessoa”, explica Edu Alves, hairstylist e colorista do Retrô, salão de beleza de São Paulo. Mas até você chegar na fórmula perfeita, alguns cuidados serão necessários. Vem descobrir!

Tu te tornas eternamente responsável!

Não tem jeito, ao tomar a difícil (e incrível) decisão de ser ruiva você precisa ter em mente que o seu cabeleireiro vai virar um de seus melhores amigos, porque TODO MÊS você vai “bater cartão” no salão. “A cliente precisa fazer a manutenção de 30 em 30 dias sem falta pois, como qualquer outro tom, o ruivo sofre oxidação, mas desbota com mais facilidade. Além disso, normalmente é necessário retocar todo o cabelo e não somente na raiz”, afirma Edu.

Pode pintar em casa?

Você pode, sim, mas saiba que tingir o cabelo é um processo químico e, além de poder danificar seus fios, você ainda corre o risco de ficar com o vermelho todo manchado caso não tenha muita prática na aplicação. Por isso, o mais indicado mesmo é procurar um profissional especializado para evitar surpresas e porque só ele pode fazer uma avaliação do estado do seu cabelo e tentar chegar em um tom que seja a sua cara. Edu explica: “Cada caso é um caso e, dependendo, você precisa ministrar diferentes volumes da água oxigenada entre as pontas e a raiz para que a cor fique homogênea. Quando você resolve pintar em casa as chances de dar errado são muito maiores”.

É obrigatório descolorir?

Não. A descoloração só é indicada para pessoas que chegam ao salão com química no cabelo, caso contrário a tintura pode ser aplicada direto. A boa notícia para quem tem cabelo virgem é que, além de gastar menos tempo, as chances do ruivo sair perfeito no ato são muito grandes. A má notícia para quem tem luzes, por exemplo, é que o processo de descolorir é cobrado à parte.

Existe essa história de tom ideal?

O tom ideal tem a ver com aquilo que você procura e com a imagem que deseja passar. Talvez um vermelho fantasia não seja tão a sua praia quanto um tom próximo do natural. E é essa a conversa que você precisa ter com o seu colorista antes da transformação. “A pessoa quando acerta na cor, dificilmente, vai querer largar o ruivo, mas tudo depende do profissional escolhido”, conta Edu. Além disso, segundo ele, é preciso ter em mente que se a sua amiga ficou sensacional com o tom Z não quer dizer que ele vai ficar perfeito em você também. No mundo das ruivas, as cores são pessoais e instransferíveis e é preferível você se sentir fabulosa com uma cor exclusiva do que chorar as pitangas por ter tentado copiar o tom da blogueira, tá?!

Quando o cabelo está muito danificado

Edu é direto: “Quando o cabelo está detonado ele só aguenta uma boa hidratação”. Por isso, meninas, fios saudáveis = um cabelo ruivo sensacional, mas isso vale para qualquer cor.

Demora muito?

Cerca de 30 a 40 minutos, mas, novamente, cada caso é um caso. “Se a cliente tiver uma californiana, por exemplo, muito forte, provavelmente ela vai precisar passar por um procedimento para que a cor fique o mais uniforme possível e isso pode dobrar o tempo dela na cadeira do salão”, declara Edu.

Nunca, mas nunca saia com cabelo molhado

Para as marinheiras de primeira viagem, enquanto a pigmentação vermelha ainda estiver nos fios, o seu cabelo vai manchar tudo o que ele tocar, de acordo com Edu. Somente quando ele desbotar para valer, você poderá sair de casa tranquila com ele ao vento e a bordo de sua camiseta branca favorita. Por isso, atenção: procure sair de casa com ele seco! De nada. 🙂

Piscina = inimiga

A piscina tratada com cloro e sulfato de cobre não é somente o terror das loiras, que morrem de medo de sair de lá com o cabelo verde. As ruivas também precisam ficar atentas porque essa combinação explosiva pode resultar num indesejado tom de marrom nos seus fios. E haja paciência para tirar essa cor? “Provavelmente ela vai precisar passar um descolorante de forma diluída e cuidar muito bem desse cabelo em matéria de hidratação e xampus de boa qualidade”, alerta o hairstylist.

Sobre colometria capilar

A arte de chegar no tom ideal é mais complexa do que parece e o indicado mesmo é procurar um profissional, pois é ele quem deve dominar a tal da “colometria capilar”, que é o estudo das cores naturais dos cabelos e das modificações químicas que podem acontecer quando misturadas. Mas caso você queira entender o que significam os números nas caixinhas de tintura e ter uma base, a gente explica tudo aqui.

Cuidados pós-coloração

Além de frequentar o salão mensalmente, é necessário investir em xampus de qualidade. “É recomendado também que ela utilize produtos que bloqueiem os raios UV e o efeito do oxigênio. Eu recomendo leave-in e óleos de argan e sílica, que é base vegetal”, afirma Edu. Lavar o cabelo todos os dias não é proibido, mas, caso seu cabelo não seja oleoso, você pode evitar, resultando em um cabelo vermelho por mais tempo.

Seja realista!

Você vai cuidar do seu cabelo? Vai ter paciência de todos os meses frequentar o salão? Vai reservar uma grana para isso? “A cliente, acima de tudo, precisa ser sincera consigo mesma, e ponderar se vai realmente atentar aos cuidados de seus fios. Coloração não estraga, ela apenas muda a estrutura capilar e para ter um cabelo bonito ele precisa estar saudável”, alerta Edu. Porém, ele garante que o esforço vale a pena: “o ruivo ideal passa a fazer parte da identidade daquela pessoa, e isso está acima de qualquer moda”.

Fonte: Da Redação com MdeMulher

Beleza e Moda