Beleza e Moda

Thomaz Azulay deixa a Blue Man, que não participa da edição de verão 2015 do Fashion Rio

Atualizado em: 14/03/2014

thomazazulay

A partir deste próximo sábado (15.03), Thomaz Azulay não dá mais expediente naBlue Man. Após três anos na direção criativa da icônica marca de beachwear carioca, o estilista deixa o cargo para Sharon Azulay (flha de David, fundador da marca e também sua prima), com quem injetou frescor para criar uma nova imagem de moda e reposicionar a etiqueta na indústria fashion brasileira.

Moda, no entanto, continuará sendo sua praia. Thomaz seguirá carreira solo com uma marca sua que contemplará um guarda-roupas além-mar feminino (e até mesmo algumas pecas masculinas). Além disso, ele fará colaborações especiais e pontuais para a Blue Man. “É como nos anos 70 e 80, quando os Azulay se dividiam entre duas grandes marcas da moda carioca  (a Blue Man, de David, e a Yes Brazil, de Simon); a família volta a tocar projetos independentes, com a mesma parceria e apoio dos velhos tempos”, explica a assessoria da marca, através de comunicado oficial. “Mas com a diferença de que eles brigavam muito e nós não brigamos nunca”, completa o estilista, em entrevista ao site da Vogue.

“A melhor escola de moda que poderia ter na minha vida foi a Blue Man. As pessoas que trabalham lá me viram nascer. Mesmo fora dela, tenho certeza de que não ficarei uma semana sem passar no ateliê”, diverte-se. “Tinha uma grande liberdade de criação, mas essa forma de expressão era limitada comercialmente. Fui me preparando para essa transição, não foi um processo lento para mim”, explica ele que, animado, diz que revelará seu novo projeto ainda no primeiro semestre do ano. “O tempo não para!”.

Ainda que tenha supervisionado o desenvolvimento de moda da marca para todo o ano, a última coleção que Thomaz assina, de fato, será a de verão 2015. Esta coleção não será apresentada no próximo Fashion Rio, que acontece entre 8 e 12.04 – apesar de se manter no line-up de marcas do evento, a Blue Man afirma que seu atual foco é reestruturar e fazer crescer as 23 lojas que tem atualmente no Brasil.

 

Fonte: Vogue

Beleza e Moda