Beleza e Moda

Saiba quais são os mitos e as verdades sobre o perfume

Atualizado em: 09/06/2013

Antique perfume spritzers

Confira o que é mentira e o que é verdade

– O uso contínuo do mesmo perfume pode provocar saturação olfativa. Você não sente mais o perfume que usa diariamente, mas as outras pessoas sim.

Dica: eleja um perfume para cada ocasião e evite o excesso.

– Quanto maior a temperatura, menor a duração do perfume na pele por conta da transpiração, que faz a fragrância evaporar.

Dica: as notas cítricas duram menos e as orientais permanecem por mais tempo.

– A quantidade de notas de fundo interfere diretamente na duração.

Dica: já que descobrir o volume de notas é para especialistas, procure por notas amadeiradas e balsâmicas – baunilha, benjoim ou tolu – que têm baixa volatilidade.

– O que você come e os remédios que usa influenciam no perfume, por isso há uma variação de cheiro de uma pessoa para outra.

Dica: o ideal é testar a fragrância na própria pele antes de comprá-la. Para ter certeza da escolha, aguarde de 10 a 15 minutos. Assim é possível sentir as notas de saída e de corpo.

– O perfume tende a durar mais em peles oleosas.

Dica: use hidratantes da mesma linha ou com cheiro neutro para aumentar a duração. Outra sugestão é aplicar a fragrância no pulso sem esfregar um no outro. Com o atrito, as moléculas mais voláteis – as das notas de saída – vão embora rapidamente.

– O aroma do café satura o nariz.

Dica: se precisar cheirar algo entre dois perfumes prefira sua própria pele ou então beba água, que limpa e neutraliza as vias aéreas.

M de Mulher (morgueFile free photo)

Beleza e Moda