Beleza e Moda

Quem paga pelo guarda-roupa da Michelle Obama?

Atualizado em: 03/06/2014

michelle-1

Desde a primeira posse do marido, o presidente dos EUA, Barack Obama, em 2009,Michelle Obama tem seu guarda-roupa aberto pela imprensa internacional – foi graças a ela que nomes então desconhecidos como Jason Wu e Naeem Khan ganharam reconhecimento. O fenômeno fashion é semelhante ao “efeito Kate Middleton“, cujo look é milimetricamente decifrado a cada aparição pública e possivelmente extinto poucas horas depois de as fotos circularem o mundo. E, se a lista de compromissos oficiais é extensa, as opções de vestidos também precisa ser. Mas, quem é que paga pelo closet grifado e cheio de opções da primeira-dama dos Estados Unidos?

Se você quis responder: “o cidadão americano”, se enganou. Diferente de Kate, que tem seu guarda-roupa patrocinado pelo sogro, o príncipe Charles – em 2012, a imprensa britânica estimou que o orçamento fashion de Kate foi em torno de £35 mil (ou cerca de R$ 132 mil) -, Michelle tira do próprio bolso os dólares destinados aos vestidos, conjuntos, sapatos… E, se Kate é proibida de aceitar presentes de designers, Mrs. Obama pode receber alguns looks para eventos públicos ou de significância histórica, segundo a secretária de imprensa da primeira-dama, Joanna Rosholm. Nesse caso, a peça em questão (como os dois vestidos Jason Wu usados por ela nos Bailes Inaugurais de 2009 e 20013; veja foto acima) é aceito em nome do governo dos EUA e, depois, guardada pelo setor de Arquivos Nacionais. Posto que um vestido couture pode chegar a custar dezenas de milhares de dólares, os looks-presentes significam uma bela economia no orçamento da primeira-dama.

Mostrando que é uma mulher econômica, Michelle pede ajuda à sua assistente pessoal, Meredith Koop, quando precisa comprar roupas para o dia a dia. Meredith tem como missão encontrar looks e acessórios com o máximo de desconto possível. Bravo, Michelle.

 

Fonte: Vogue

Beleza e Moda