Beleza e Moda

Os maiores cabelereiros de São Paulo, ensinam a lavar o cabelo gastando menos água

Atualizado em: 07/02/2015

cabelo

A crise hídrica que atinge principalmente o estado de São Paulo tem obrigado alguns salões de cabeleireiro da cidade a adotar novos hábitos na hora de atender as clientes. Mas as mudanças na rotina de beleza, segundo os porta-vozes das maiores redes, não devem ficar restritas aos estabelecimentos. Elas devem se estender também aos hábitos do dia a dia.
Se antes, o shampoo era aplicado três vezes; agora, o uso do produto se repete uma única vez na maioria dos salões. “Isso diminui bastante a duração da lavagem e, consequentemente, o gasto de água”, diz Janine Goossens, presidente e fundadora da rede Jacques Janine. “Além disso, umedecemos o cabelo previamente com um borrifador para aplicar o shampoo já diluído. Com isso, temos um consumo muito menor do jato do chuveirinho.”

O corte a seco faz crescer a lista de novos hábitos da rede, quando o profissional se certifica de que uma higienização prévia correta foi feita pela cliente. O mesmo acontece nos salões Studio W, desde que a técnica seja aprovada pela frequentadora.

“Nós também tínhamos o hábito de lavar antes e voltar ao lavatório para o enxague e tratamento pós-corte. Atualmente, oferecemos o corte feito a seco e a lavagem final”, acrescenta Rosângela Barchetta, diretora da rede Studio W.

Por outro lado, chegar com o cabelo lavado, ainda molhado, não é uma boa prática, de acordo com Janine. “Os produtos capilares profissionais fazem toda a diferença. Além disso, dependendo do que foi usado em casa, o resultado de um penteado, por exemplo, pode ficar aquém do desejado”, diz ela.

EM CASA…
Para complementar, os especialistas ainda dão dicas preciosas às clientes interessadas em economizar fora do salão. “Muitas delas faziam escova de quatro a cinco vezes na semana. Agora, são orientadas a estender o intervalo entre as lavagens e escovas com o uso do shampoo a seco”, conta Rosângela.

O cosmético é aliado indispensável da vez. “Ele não só proporciona um aspecto de limpeza ao absorver a oleosidade, como ajuda também a sustentar penteados”, conta Thony Rodrigues, hairstylist do Jacques Janine Itaim.
Apesar desse benefício, Thony desaconselha o uso contínuo do produto para evitar o acúmulo excessivo de resíduos no couro cabeludo. “Vamos supor que a mulher tenha o costume de lavar os fios de segunda, quarta e sexta-feira. Na quarta, ela pode substituir a lavagem pelo shampoo a seco.”

NO BANHO…
Nessa hora, o expert pede atenção redobrada. “Use o shampoo uma única vez e, na hora de espalhar e massagear o couro cabeludo, desligue o chuveiro – exatamente como fazemos no salão.” Procure ainda usar o mínimo possível de produto, apenas o necessário para limpar a raiz dos fios. Afinal, a espuma que escorre já é suficiente para higienizar o comprimento. Quanto mais shampoo, mais água é necessária para o enxágue.

Antes de lançar mão do condicionador, certifique-se de que os fios se soltam facilmente. Neste caso, prefira o leave-in sem enxague aplicado depois que o excesso de água for retirado com a toalha. A economia é certeira.

NO BAD HAIR DAY…
Naqueles dias de cabelo rebelde, Thony sugere prendê-lo em um coque ou rabo de cavalo estilizado com gel, pomada ou spray modelador. Assim, o fio sujo se renova imediatamente.

Para finalizar, vale acrescentar à listinha de novos hábitos uma orientação rápida aos homens da casa. “Normalmente, eles lavam os cabelos todos os dias, mesmo tendo o cabelo bem mais curto. Isso é desnecessário. Quando notar que o couro cabeludo está oleoso, passe papel toalha. A folha absorve o excesso de oleosidade e vai possibilitar que as lavagens sejam realizadas em dias alternados.”

Fonte: MarieClaire

Beleza e Moda