Beleza e Moda

Mais uma vez, marca muda todo o “padrão passarela” no São Paulo Fashion Week

Atualizado em: 27/09/2017

mccarol-desfile-lab-0817-1400x800

A São Paulo Fashion Week foi mais uma vez invadida pelo conceito de aceitação das diferentes belezas, quebrando totalmente os “Padrões de Passarela”, tão imposto ao longo de tantos anos para a sociedade. Veja o que aconteceu no desfile:

Mais uma vez, marca muda todo o “padrão passarela” no São Paulo Fashion Week

Não é a primeira vez, mas não é menos importante. A marca Lab Fantasma, que pertence ao rapper Emicida e seu irmão, Fioti, pela terceira vez consecutiva leva à passarela da principal semana de moda brasileira tudo o que não estamos acostumados a ver em desfiles tradicionais- e quebra absolutamente todos os considerados “padrões de passarela”.

Na 44ª edição do São Paulo Fashion Week, a marca trouxe MC Carol como sua principal modelo. Ela, que é uma mulher negra e gorda e não se cansa de levantar a bandeira da aceitação do corpo e do respeito às diferentes belezas, levou o público à loucura ao pisar na passarela da Bienal do Parque do Ibirabuera. O principal objetivo da marca: mostrar que moda é para todos!

MC Carol desfilando no SPFW

mccarol-lab-spfw-0817-1400x1600

Vestindo uma saia de moletom preta e camiseta branca com uma tag (nomenclatura para as assinaturas feitas em muros) da marca, a MC usou peças que são a cara da moda de rua e finalizou o look com tênis brancos da Nike e meias coloridas.

Ela foi ovacionada enquanto caminhava pela passarela e logo depois do desfile, fez um vídeo onde contou estar muito emocionada.

Mas MC Carol não foi a única a representar a diversidade brasileira, o desfile foi composto por elenco variado, com pessoas gordas, magras, negras e brancas, como a cantora Iza e os rappers Thaide, Black Alien e Tiago Red.

iza-thaide-blackalien-spfw-0817-1400x800

 

Para Emicida, a moda não precisa ser opressora e deve representar quem a utiliza. “Durante muito tempo, olharam para o SPFW como um ambiente de exclusão, e eu também já tive essa ideia. Mas hoje penso o contrário: as pessoas precisam estar aqui”, disse ele.

homens-lab-spfw-0817-1400x800

Como foi o desfile

Com o tema “Avuá”, Emicida e Fióti entraram na passarela cantando, ao lado da rapper Drik Barbosa. Suas criações são, dessa vez, mais simples e com um pouco menos de estampas.

emicida-fioti-spfw-0817-1400x800

Ao contrário do que apresentaram na coleção passada, a cor predominante desta vez foi o azul, de todos os tons. Combinado especialmente com branco, as peças da marca são diferentes de tudo mostrado no São Paulo Fashion Week.

Com pegada street style, havia muito moletom e peças over sized, aquelas bem largas e folgadas. Entre os acessórios, os colares e brincos eram dourados com símbolos ampliados.

Durante o desfile, outros rappers se juntaram: Rael, Kamau e Coruja BC1 completaram o time que finalizou a apresentação.

spfw-lab-fantasma-0817-1400x800

LAB no SPFW
Esta foi a terceira vez da LAB no Fashion Week e a marca já é conhecida por quebrar tabus e trazer representatividade para a moda. Durante seu primeiro desfile, Emicida fez barulho pelos corredores ao trazer o slogan “I Love Quebrada” para as passarelas e levar modelos diferentes para a apresentação: eram pessoas de todas as cores, de todos os jeitos usando todos os tipos de roupa, incluindo homens de saia.

Para a época, no final de 2016, o desfile era um reflexo de discussões que já estavam sendo debatidas entre a população. Durante seu segundo evento, outra vez impressionou com elenco que foge dos padrões do evento.

Nesta edição, de número 44, os irmãos não fizeram diferente e mostraram que vão continuar trazendo a rua para as passarelas.

Fonte: Vix 

Beleza e Moda