Beleza e Moda

Estilistas brasileiros entram para seleção de multimarcas europeia em ação casada com a Copa

Atualizado em: 28/05/2014

Estilistas-brasileiros-loja-online-europa-1

A loja multimarcas italiana Luisa Via Roma, que vende para 120 países, escolheu mais de 20 novos e consagrados criadores nacionais para uma ação casada com a Copa do Mundo.

Todos os anos, a multimarcas promove o Firenze4Ever, evento que acontece em junho em são apresentadas as novas coleções das grifes vendidas tanto na loja online como na loja física, que fica em Florença. Esta será a primeira vez que o lançamento, que conta com a participação de jornalistas e blogueiros do mundo todo, será focado em um país, afirmou Andrea Panconesi, fundador e proprietário da loja, em entrevista ao FFW. “É a primeira vez que fazemos isso desta forma, e é em grande escala. É a melhor oportunidade para os estilistas brasileiros terem reconhecimento internacional.”

Além da apresentação das coleções para a imprensa — que inclusive poderá fotografar editoriais com as peças durante o Firenze4Ever —, a loja prepara uma ação com a Adidas para chamar a atenção para os estilistas do país sede da Copa. Cerca de 40 bolas oficiais da série Brazuca serão customizadas pelos estilistas das maiores grifes internacionais. As bolas serão leiloadas pelo eBay e toda a renda será revertida para a Fundação Gol de Letra, dos ex-jogadores Raí e Leonardo.

A seleção dos estilistas foi feita por um comprador da Luisa Via Roma com a ajuda da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit)  — Panconesi esteve no Brasil nesta semana para conhecê-los e para divulgar o projeto. Os escalados foram Pedro Lourenço, Trendt, PatBo, Scarf Me, Helen Rodel, Adriana Degreas/Bain Couture, Der Metropol, Fabiana Milazzo, Lucas Magalhães, Janiero, Mariah Rovery, Isolda, Barbara Casasola, Lucas Nascimento, Martha Medeiros, Farm x Adidas, Les Petits Joueurs, Havaianas, Melissa e Carla Amorim. “Claro que é uma pequena seleção, pois é a primeira vez que estamos introduzindo estilistas brasileiros”, acrescentou.

Panconesi explicou que não houve uma preocupação que as marcas selecionadas tivessem um mesmo DNA. “Procuramos um DNA diferente em cada designer. É muito difícil encontrar um denominador comum. Cada designer é diferente, tem uma personalidade e nós respeitamos isso. O que eu mais gosto [na moda brasileira] é que muito artesanal. É isso que estamos procurando e vamos ver como se desenvolve.” O dirigente explicou que a ideia é que a parceria com os estilistas seja duradoura, mas isso vai depender de como eles se sairão nesta primeira experiência.

A Luisa Via Roma vende as grifes mais tradicionais, mas também desenvolve um trabalho de apresentar novos estilistas para sua clientela. “Nossos clientes não nos procuram quando querem uma calça preta ou um blazer preto. Eles sabem que temos os grandes designers, e isso é a grande parte do nosso negócio. Mas temos o dever e a estratégia de promover sempre novos e jovens estilistas talentosos, não importa de onde venham. Nossos clientes vêm até nós porque esperam ser surpreendidos, querem algo fresco, novo, algo que eles não encontrem por aí. E os estilistas brasileiros ainda não são muito conhecidos”, comentou Panconesi.

A multimarcas trata os estilistas brasileiros como uma aposta de onde devem sair craques da moda no futuro. “Não espero fazer dinheiro disso agora. Talvez no futuro seja algo interessante.” A loja é reconhecida por detectar novos talentos, como foi o caso de Rick Owens. “Talvez nesses 20 estilistas tenha um que venha a ser um dos grandes. Quando começamos com alguns designers, eles eram totalmente desconhecidos. Leva tempo, mas é para isso que estamos aqui”, disse o proprietário.

O principal mercado da Luisa Via Roma são os Estados Unidos, seguidos pela Europa (Itália, França, Alemanha e Reino Unidos), China, Hong Kong, Taiwan, Singapura e Macau. Com isso, atualmente 95% das vendas são online — o negócio, que já está na terceira geração da família, começou com uma loja física e foi crescendo na internet. Por enquanto, não há a intenção de intensificar as vendas no Brasil devido ao alto custo de importação. “É impossível fazer negócio no Brasil agora. Até esse sistema mudar, nós não vamos investir em marketing, em tecnologia para o Brasil. Não vale a pena.”

De acordo com o gerente de Moda e Design do Texbrasil, Evilásio Miranda, essa não é a primeira parceria com grandes redes internacionais, mas se trata de uma das mais relevantes. “Já tivemos diversas experiências com grandes lojas internacionais, como Le Bon Marché e Macy’s, mas nunca com um parceiro tão forte no online. A relevância virtual da Luisa Via Roma foi o que mais nos atraiu”, ressaltou.

 

 

Fonte: FFW

Beleza e Moda