Atualidades

Afinal, baixou ou não baixou os preços das passagens aéreas depois das novas regras de franquia de bagagens

Atualizado em: 27/07/2017

travel bags and airplane in sky

Com a nova resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o preço do despacho das bagagens, em viagens aéreas, que já era incluso nas passagens, passou a ser cobrado separadamente, para que houvesse uma redução no valor das passagens e uma maior clareza em relação às obrigações das companhias aéreas em várias situações, segundo a Anac. Mas será que isso está acontecendo mesmo?

A nova regra que passou a valer a partir do dia 01 de junho de 2017, vem causando bastante polemica, já que as medidas deveriam tornar o custo das viagens, mais barato.

Agora está a critério das companhias aéreas cobrar uma taxa extra aos passageiros que quiserem despachar suas bagagens e o que vão incluir ou não nas suas tarifas. Antes dessa nova decisão, em voos domésticos, todos os passageiros tinham direito a despachar uma mala de até 23 quilos e levar uma bagagem de mão de até cinco quilos no avião, isso tudo já com as tachas inclusas na passagem. E para voos internacionais, a franquia era maior: era permitido o despacho de duas malas de até 32 quilos, com o peso da bagagem de mão variando entre oito e 10 quilos dependendo da companhia aérea.

Hoje, as companhias aéreas estão trabalhando da seguinte forma:

 

WhatsApp Image 2017-07-26 at 9.37.37 AM

AZUL

A azul dividiu os voos em duas classes: a Azul, que traz preços de passagens aéreas mais econômicos, e a Mais Azul, que mantém os preços antigos e permite despachar uma mala de até 23 kg. É possível levar uma peça de até 10 kg na cabine.

Se você optar pela Azul, a partir do dia 20 de julho, terá que pagar para despachar sua bagagem de até 23 kg a partir de R$30.

A AZUL não cobra taxas extras para transportar malas despachadas em voos internacionais. Porém, diminuiu o peso das antigas, duas peças de até 32 kg para 23 kg, no máximo.

Recapitulando:

É gratuito:

1 bagagem de mão – máximo de 10 kg

1 bagagem despachada – máximo 23 kg – para clientes Mais Azul

 

A partir de R$30:

1 bagagem despachada – máximo 23 kg – para clientes Azul

 

AVIANCA

A AVIANCA é a única companhia aérea que ainda não aderiu às novas regras para bagagens. Em voos domésticos, ainda é possível levar uma mala de até 10 kg na cabine e despachar outra de até 23 kg.

Quem viaja para outros países da América Latina pode levar uma peça de até 23 kg. Por sua vez, aqueles que têm os Estados Unidos como destino ainda podem dispor das queridas duas peças de até 32 kg.

 

Recapitulando:

 

É gratuito:

1 bagagem de mão – máximo de 10 kg

1 bagagem despachada – máximo 23 kg

 

GOL

Desde 20 de junho, quem compra passagens com a GOL pode optar por uma classe tarifária mais barata – a Light – que não dá direito ao despacho de bagagem. Os viajantes podem levar uma mala de até 10 kg na cabine.

Em viagens internacionais, a companhia aérea baixou o peso máximo das malas de 32 para 23 kg e cobra US$ 10 para transportar cada peça, desde que o passageiro faça a solicitação pela internet.

 

Recapitulando:

 

É gratuito:

1 bagagem de mão – máximo de 10 kg

 

A partir de R$30:

1 bagagem despachada – máximo 23 kg

 

Dúvidas? Consulte as novas regras da GOL.

 

LATAM

A LATAM começou a se adaptar às novas regras para bagagens em 18 de maio. Atualmente, a companhia tem duas classes tarifárias que não incluem o despacho de bagagem: Promo e Light.

Como a LATAM passa por um processo bem gradual de adaptação, as regras para voos internacionais variam de acordo com a data da compra da passagem e o destino. Vale a pena acessar o site da companhia para entender melhor!

 

Recapitulando:

 

É gratuito:

1 bagagem de mão – máximo de 10 kg

 

A partir de R$30:

1 bagagem despachada – máximo 23 kg

E aí? Na sua opinião, melhorou ou piorou para os passageiros?

 

Fonte: Max Milhas

 

Atualidades